DHL Express mantém entregas mesmo com apagão aéreo global

Rotas alternativas do Sul da Europa e ampla utilização da rede terrestre permitiram a empresa a normalização das entregas mesmo com o forte impacto do cancelamento de voos devido ao vulcão islandês

DHL comemora expansão do uso de fontes renováveis para geração de eletricidade
DHL lança aplicativo rastreador de remessas para smartphone
DHL inaugura centro de competência em commodities agrícolas

A DHL Express conseguiu driblar a crise aérea causada pela erupção do vulcão na Islândia que cancelou milhares de voos em todo o mundo. Segundo a empresa, a ativação de planos de contingência imediatos permitiram que as operações não fossem tão prejudicadas pela situação.

A utilização de voos adicionais entre seu hub internacional nos Estados Unidos, em Cincinnatti, para a Europa, por meio de sua base espanhola em Vitoria, manteve as entregas da rede da empresa. Um dos exemplos foi a utilização da maior aeronave do mundo, o Antonov An-225, em transferência de cargas da China para a Espanha.

Outro fator importante foi a ampla utilização de rotas terrestres alternativas para a realização do transporte, utilizando uma expansão de frota com mais de 300 caminhões em apenas três dias e aumentando as operações aéreas nas regiões não atingidas pelo vulcão.

A DHL Express voltou a operar 100% de sua capacidade na Europa no dia 23 de abril, inclusive para os serviços de entrega com hora marcada DHL Express 9:00 e DHL Express 12:00, com destino em países da Europa. Isso inclui os voos diários expressos intra-Europa, com operações noturnas regulares em seu hub na Alemanha (Leipzig), após a reabertura do espaço aéreo alemão.

“Ativamos nossos planos de contingência climáticos e eles funcionaram. Não paramos os serviços de coleta e entrega. Tivemos alguns atrasos em países europeus, porém mantivemos um fluxo contínuo em nossos hubs”, disse Roger Crook, diretor Presidente da DHL Express Americas.

Por: Leonardo Helou Doca de Andrade – Redação Portal Transporta Brasil

COMMENTS