Appa apresenta plano estratégico para portos de Paranaguá e Antonina (PR)

Em estudo apresentado para o Conselho de Autoridade Portuária do Porto de Paranaguá, a Administração dos Portos do Paraná destacou ações para melhoria do transporte marítimo no Estado

Porto de Paranaguá (PR) movimenta 2,1 milhões de toneladas de açúcar e cresce 23%
DTA Engenharia vence licitações portuárias de mais de R$ 55 mi em SP e PR
Terceira etapa da 23ª Gincana do Caminhoneiro classifica mais três para a final

O superintendente da Appa (Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina), Mário Lobo Filho, apresentou durante a reunião mensal do CAP (Conselho de Autoridade Portuária do Porto de Paranaguá) um estudo sobre o setor portuário nos próximos 20 anos. O chamado Plano Estratégico dos Portos do Paraná prevê um complexo portuário forte, integrado logisticamente, com maior capacidade de movimentação de cargas e que atenda a importadores e exportadores do mundo inteiro.

O documento foi elaborado pelo Núcleo Permanente de Estudos Estratégicos da Appa, com o propósito de apresentar os desafios e oportunidades do setor até 2030, e as ações que precisam ser adotadas a curto e médio prazo. Durante a apresentação, o superintendente ressaltou que o Porto de Paranaguá é um dos mais importantes do Brasil, mas que é necessário solucionar determinados problemas para acompanhar as mudanças do transporte marítimo e de logística mundial.

Entre as ações mais urgentes destacadas pelo documento estão o repotenciamento de corredores de exportação para o atendimento de navios com capacidade de mais de 75 mil toneladas de produtos; adequação do calado dos berços para até 14 metros de profundidade; ampliação do Pátio de Triagem de Caminhões; criação de Pátio Rodoviário para Contêineres e a construção de novas vias de acesso ao porto.

Para maior integração dos portos, o estudo também apresenta soluções que envolvem os transportes terrestres. Uma das propostas nesse sentido é a criação de novos acessos rodoviários que desviem da rota atual, via Curitiba. “Teríamos uma ligação dos portos com a região Sul do Brasil, pela BR-101, que vai de Garuva até Santa Catarina, e uma ligação ao Norte, pela BR-116, que passa por Antonina em direção a São Paulo”, explica a coordenadora do Núcleo Permanente de Estudos Estratégicos, Maria do Perpétuo Socorro de Oliveira.

Além da ampliação da infraestrutura dos cais de Antonina e Paranaguá, está prevista a construção de mais dois terminais: Pontal do Paraná e Imbocuí (também em Paranaguá). A intenção é de que cada um deles tenha uma atividade principal, de acordo com as características específicas dos lugares.

Por Marília Brandão – Redação Portal Transporta Brasil, com informações da Appa

COMMENTS