Appa apresenta plano estratégico para portos de Paranaguá e Antonina (PR)

Em estudo apresentado para o Conselho de Autoridade Portuária do Porto de Paranaguá, a Administração dos Portos do Paraná destacou ações para melhoria do transporte marítimo no Estado

Sistema que agiliza exportações por Paranaguá atrai cada vez mais adeptos
Viação Iapó investe em modernos ônibus Volvo com segurança ativa
Concessionárias querem reajuste de até 2,56% a partir de 1º de dezembro (PR)

O superintendente da Appa (Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina), Mário Lobo Filho, apresentou durante a reunião mensal do CAP (Conselho de Autoridade Portuária do Porto de Paranaguá) um estudo sobre o setor portuário nos próximos 20 anos. O chamado Plano Estratégico dos Portos do Paraná prevê um complexo portuário forte, integrado logisticamente, com maior capacidade de movimentação de cargas e que atenda a importadores e exportadores do mundo inteiro.

O documento foi elaborado pelo Núcleo Permanente de Estudos Estratégicos da Appa, com o propósito de apresentar os desafios e oportunidades do setor até 2030, e as ações que precisam ser adotadas a curto e médio prazo. Durante a apresentação, o superintendente ressaltou que o Porto de Paranaguá é um dos mais importantes do Brasil, mas que é necessário solucionar determinados problemas para acompanhar as mudanças do transporte marítimo e de logística mundial.

Entre as ações mais urgentes destacadas pelo documento estão o repotenciamento de corredores de exportação para o atendimento de navios com capacidade de mais de 75 mil toneladas de produtos; adequação do calado dos berços para até 14 metros de profundidade; ampliação do Pátio de Triagem de Caminhões; criação de Pátio Rodoviário para Contêineres e a construção de novas vias de acesso ao porto.

Para maior integração dos portos, o estudo também apresenta soluções que envolvem os transportes terrestres. Uma das propostas nesse sentido é a criação de novos acessos rodoviários que desviem da rota atual, via Curitiba. “Teríamos uma ligação dos portos com a região Sul do Brasil, pela BR-101, que vai de Garuva até Santa Catarina, e uma ligação ao Norte, pela BR-116, que passa por Antonina em direção a São Paulo”, explica a coordenadora do Núcleo Permanente de Estudos Estratégicos, Maria do Perpétuo Socorro de Oliveira.

Além da ampliação da infraestrutura dos cais de Antonina e Paranaguá, está prevista a construção de mais dois terminais: Pontal do Paraná e Imbocuí (também em Paranaguá). A intenção é de que cada um deles tenha uma atividade principal, de acordo com as características específicas dos lugares.

Por Marília Brandão – Redação Portal Transporta Brasil, com informações da Appa

COMMENTS