Diretor da ANP considera difícil Brasil adotar carro de passeio movido a diesel

Segundo o diretor da ANP, agência reguladora do segmento de combustível no país, o Brasil é dependente do diesel e ainda busca as condições de melhorias na qualidade do produto do ponto de vista ambiental

Trem de alta velocidade terá tarifa-teto do leilão a R$ 0,60 por km
Começa mais uma cobrança de pedágio
Amazonas propõe redução de PIS e Cofins para motos

O diretor-geral da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Haroldo Lima, disse que é difícil que o país venha a aprovar a utilização do óleo diesel como combustível para carro de passeio.

Segundo o diretor da ANP, agência reguladora do segmento de combustível no país, o Brasil é dependente do diesel e ainda busca as condições de melhorias na qualidade do produto do ponto de vista ambiental.

“A liberação do carro movido a diesel no Brasil é muito difícil porque nós não temos diesel suficiente no país. Nós ainda importamos diesel e estamos tentando melhorar o nosso produto para reduzir a poluição”, afirmou ao participar da gravação do programa Roda Viva, da TV Cultura de São Paulo e TV Brasil. O diretor da ANP, no entanto, admitiu que a agência fará um estudo detalhado sobre o assunto.

A possibilidade dos carros brasileiros serem liberados para o uso do diesel como combustível foi anunciada na semana passada pelo ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, que, ao participar de audiência pública na Comissão de Infraestrutura do Senado admitiu que “o governo está estudando o assunto”.

Segundo o ministro,  o país tem que se preparar para o caso de precisar adotar o modelo europeu, que permite o uso desse tipo combustível nos carros de passeio. “Nós teremos que nos preparar para essa possibilidade. Estamos fazendo os estudos de viabilidade técnica aqui no Brasil, o que não quer dizer que iremos adotar isso imediatamente”, afirmou.

COMMENTS