Companhias aéreas preveem 2009 desastroso

A derrubada, no entanto, deve ser analisada com cuidado, já que os resultados recorde de 2007 incluem pagamentos extraordinário

União Brasileira de Biodiesel garante que setor já tem produtividade para aumentar adição ao diesel
Governo mantém benefícios ao setor
Terminal marcada chegada ao Estado

As companhias aéreas enfrentarão fortes turbulências em 2009: a alemã Lufthansa prevê sérias dificuldades, enquanto Delta e Cathay Pacific anunciaram nesta quarta-feira enormes prejuízos.

O lucro líquido da Lufthansa caiu 64% em 2008 em relação ao ano anterior (€ 599 milhões ou US$ 760 milhõe); para este ano, a empresa anunciou uma nova queda de seus ganhos.

A derrubada, no entanto, deve ser analisada com cuidado, já que os resultados recorde de 2007 incluem pagamentos extraordinários, mas a companhia advertiu que o resultado de 2009 pode “ser claramente inferior ao do ano passado”.

A empresa informou em um comunicado que, “dado o clima extremamente deteriorado (da economia), o desenvolvimento de novos negócios traz riscos mais altos que o normal”.

Estas declarações se somam ao anúncio de prejuízos significativos em 2008 por parte de duas grandes companhias aéreas, a asiática Cathay Pacific e a americana Delta.

A Cathay Pacific perdeu mais de US$ 1 bilhão em 2008, seu primeiro prejuízo em 10 anos, uma queda de quase US$ 900 milhões em comparação com o ano anterior.

A Delta, por sua vez, registrou um estrondoso prejuízo de US$ 8,9 bilhões. A empresa anunciou que pretende reduzir em 10% sua capacidade de operação, indicando que pode cortar mais postos de trabalho.

A Associação de Transporte Aéreo Internacional (IATA) informou que o tráfego aéreo registrou uma forte queda da demanda em janeiro, com uma redução de 5,6% interanual, no quinto recuo conscecutivo.

O presidente executivo da Lufthansa, Wolfgang Mayrhuber disse que 2009 apresentará um “entorno muito mais complicado”, mas que a situação financeira e a flexibilidade de sua empresa também podem trazer coisas positivas.

Link para a matéria

COMMENTS