Fluxo em rodovias sobe 1,3% em fevereiro

De acordo com a instituição, a alta foi puxada pela elevação de 2,1% no fluxo de veículos pesados nestas rodovias

Irregularidades em obras da Infraero ameaçam Copa do Mundo, alerta ministro do TCU
Começa audiência para discutir proposta de Estatuto do Motorista Profissional
Ferroeste coordenará Fórum de Integração Logística Sul-americana

O fluxo de veículos nas rodovias brasileiras pedagiadas aumentou de 1,3% em fevereiro, ante janeiro, segundo dados da Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias (ABCR). De acordo com a instituição, a alta foi puxada pela elevação de 2,1% no fluxo de veículos pesados nestas rodovias. A movimentação de veículos leves cresceu 0,6% em fevereiro deste ano, na mesma base de comparação.

Já na comparação com o mesmo período de 2008, houve incremento de 0,4% no fluxo total das rodovias pedagiadas – elevação de 3,1% no fluxo de veículos leves, e queda de 8% para veículos pesados.

Na avaliação da analista da Tendências, Ariadne Vitoriano, a alta do índice ante janeiro pode estar ligada à melhora da atividade industrial no País. “O fluxo de veículos pesados está vinculado ao desempenho da indústria”, lembrou Ariadne. No entanto, ela ponderou: “Apesar do crescimento, a retomada é bastante lenta. Já que na comparação com fevereiro de 2008 o fluxo de veículos pesados caiu 8%”.

Quanto ao fluxo de veículos leves, Ariadne avaliou que o movimento está relacionado à renda e ao emprego. “O último dado do IBGE mostrou aumento de 2,2% no rendimento médio real do brasileiro em janeiro”, reforçou a analista.

Na divisão regional, entre os estados pesquisados, o Rio de Janeiro apresentou a maior elevação no fluxo de veículos (5%), na comparação com fevereiro de 2008 – com aumento de 6% na movimentação de veículos leves e queda de 1,3% no fluxo de veículos pesados.

Já a maior queda (2%) foi registrada no Rio Grande do Sul – queda de 1% para veículos leves e de 11% para pesados. Nas rodovias de São Paulo o fluxo de veículos caiu 0,5% – crescimento de 2,6% para veículos leves e queda de 9% para pesados. No Paraná, o fluxo avançou 0,6% – incremento de 3% no fluxo de carros leves e recuo de 4,3% para pesados.

Link para a matéria

COMMENTS