Goiás prepara editais para segunda fase da plataforma logística

Delano e Luiz Fernando discorreram sobre a importância da Plataforma Logística para Goiás e para o Brasil, lembrando que Anápolis sedia um dos mais importantes entroncamentos logísticos do País

Audiência deixa população otimista sobre duplicação
Produção de petróleo do Brasil superará a da Rússia
BR-101 tem terceira praça de pedágio

O governo de Goiás está preparando editais para a contratação dos serviços de infra-estrutura da segunda etapa da Plataforma Logística Multimodal de Goiás, em Anápolis. A informação foi prestada hoje pelo diretor da Goiás Parcerias, Delano Cavalcanti Calixto, e pelo arquiteto Luiz Fernando Cruvinel Teixeira ao prefeito de Anápolis, Antônio Roberto Otoni Gomide. Eles participaram com o secretário do Planejamento e Desenvolvimento, Oton Nascimento Júnior, de reunião de trabalho com o prefeito, em seu gabinete na prefeitura de Anápolis.

Delano e Luiz Fernando discorreram sobre a importância da Plataforma Logística para Goiás e para o Brasil, lembrando que Anápolis sedia um dos mais importantes entroncamentos logísticos do País, reunindo, todas as condições para sediar a Plataforma e também para construção do aeroporto de cargas.

Quanto ao entreposto da Zona Franca de Manaus, Delano Calixto disse que ela deverá ser instalada em área de 500 mil metros quadrados na Plataforma Logística. A projeção é movimentar de R$ 1,5 bilhão a R$ 2 bilhões anuais em mercadorias produzidas na Zona Franca de Manaus, que utilizará o entreposto para distribuição em todo o País.

Norte-Sul

O consultor comercial da Valec Engenharia e Construções Ltda, Josias Gonzaga, explanou sobre obras da Ferrovia Norte-Sul em Anápolis. Ele reafirmou que o trecho Anápolis-Açailândia, no Maranhão, será inaugurado em julho de 2010 e que, no mês de agosto, terão início as obras do ramal Sudoeste, saindo de Ouro Verde, passando por Santa Helena e Rio Verde, até Estrela do Oeste, em São Paulo, com 666 quilômetros.

Em Anápolis, a Valec constrói no momento o túnel que passa sob a BR-153, com cerca de 400 metros de extensão, dando passagem à ferrovia até as proximidades da Plataforma Logística Multimodal, no Daia. Também na área urbana de Anápolis estão em construção no momento viadutos e elevados por onde passarão os trilhos da ferrovia.

ZPE

Sobre a Zona de Processamento de Exportação (ZPE), a superintendente de Planejamento e Desenvolvimento da Seplan, Sulamita de Aquino Porto Mello e Cunha, explicou que as discussões estão em fase inicial, envolvendo técnicos do governo estadual, da prefeitura de Anápolis e da Associação Brasileira de Zonas de Processamento de Exportação (Abrazpe). Segundo ela, a legislação que rege as ZPEs é complexa e tudo precisa conduzido de forma adequada para que a unidade de Goiás, em Anápolis. possa se tornar realidade.

Link para a matéria

COMMENTS