Aerolinhas Brasileiras pagará multa nos EUA

As empresas são as mais recentes a serem acusadas em investigações realizadas nos Estados Unidos, na Coreia do Sul e na Austrália de fixar os preços nas remessas internacionais de carga aérea

Nova Lei do Gás tem foco no transporte
Apresentado Projeto que deduz do IR despesas com pedágio
Brito assina dragagem para Porto de Santos

A El Al Israel Airlines Ltda., a Lan Cargo SA, do Chile, e a Aerolinhas Brasileiras SA (ABSA) concordaram em se declarar culpadas das acusações dos Estados Unidos de terem conspirado para fixar os preços de serviços de frete e vão pagar um total conjunto de US$ 124,7 milhões em multas, disseram as autoridades da Justiça norte-americana.

As empresas entraram em conluio a fim de “suprimir e eliminar a concorrência ao fixarem as tarifas de carga cobradas dos clientes para remessas aéreas internacionais, entre as quais as praticadas em voos com destino aos Estados Unidos e procedentes do país”, segundo dois autos de informação penal examinados ontem pelo tribunal federal norte-americano de Washington.

As empresas são as mais recentes a serem acusadas em investigações realizadas nos Estados Unidos, na Coreia do Sul e na Austrália de fixar os preços nas remessas internacionais de carga aérea, prática que resultou numa cobrança líquida de mais de US$ 1,2 bilhão em multas. Um total de 12 companhias aéreas e três executivos se declararam culpados ou concordaram em fazer essa declaração na investigação, segundo o Departamento de Justiça dos EUA.

“Os consumidores norte-americanos foram obrigados a pagar preços mais elevados sobre os produtos que compram todos os dias em decorrência das tarifas infladas e fixadas por conluio praticadas por essas companhias”, disse o procurador-geral- assistente interino do Ministério Público dos Estados Unidos, Scott D. Hammond, em comunicado.

Outras empresas punidas

Segundo os acordos de declaração de culpa anunciados ontem, a Lan Cargo e a brasileira ABSA, significativamente controlada pela Lan, vão pagar uma única multa penal de US$ 109 milhões, disse o Departamento de Justiça. A El Al, a maior viação aérea de Israel, aceitou pagar uma multa de US$ 15,7 milhões.

A Lan disse que já reservou US$ 75 milhões antes da imposição formal da penalidade. A soma reservada foi contabilizada contra os resultados de 2007 e no terceiro trimestre de 2008, disse a empresa. Um porta-voz da El Al, sediada na periferia de Tel Aviv, não deu retorno ao contato desta reportagem.

A Air France-KLM Group concordou em junho em pagar uma multa penal de US$ 350 milhões e se declarou culpada das acusações norte-americanas de participar de um conluio mundial de preços. A Cathay Pacific Airways Ltda. aceitou pagar US$ 60 milhões e a SAS Cargo Group S/A concordou em arcar com uma multa de US$ 52 milhões.

A British Airways Plc declarou-se culpada em 2007 e recebeu uma multa de US$ 300 milhões por conspirar para fixar tarifas tanto de transporte de carga quanto de passageiros em voos entre os Estados Unidos e o Reino Unido. A Korean Air Lines recebeu multa de US$ 300 milhões e a Japan Airlines International Co. declarou-se culpada e terá de pagar uma multa de US$ 110 milhões.

COMMENTS