Pacto vai manter até 11 de fevereiro emprego de metalúrgicos em Minas

Mesmo no caso das indústrias obrigadas a reduzir o número de funcionários, o sindicato será avisado antecipadamente, para se tentar uma solução alternativa

Santos Brasil atinge recorde no Tecon de Santos
Más condições de estradas e embalagens fazem país perder 30% da produção de frutas e verduras
Verba é insuficiente para demanda

As 18 principais empresas do polo automotivo de Betim, lideradas pela Fiat Automóveis e siderúrgica Usiminas, decidiram interromper as demissões de metalúrgicos até 11 de fevereiro, exceto nos casos em que a crise internacional vier a atingir de forma especial alguma delas. O acordo foi realizado com os dirigentes do Sindicato dos Metalúrgicos de Betim, numa reunião que se estendeu por quase duas horas, pela manhã, na Federação das Indústrias de Minas Gerais.

Segundo o presidente do sindicato dos trabalhadores, Marcelino da Rocha, o resultado da reunião foi tranquilizador pois as empresas assumiram o compromisso de paralisar as demissões, que teriam crescido 405% no passado.

Mesmo no caso das indústrias obrigadas a reduzir o número de funcionários, o sindicato será avisado antecipadamente, para se tentar uma solução alternativa. “Do nosso lado, o sindicato não fechou as porta para negociações com cada empresa, diante das dificuldades adicionais que possam enfrentar”, declarou.

Participaram da reunião as empresas Fiat, Teksid, Aethra, Brebo, Comau, Denso Sistemas Térmicos, Denso Equipamentos Rodantes, Magneti Marelli, Nemak, Mardel, Fiat Powertrain, Proema, Resil, Stola, Tower, Soldering, TKDR e Usiminas, que empregam cerca de 40 mil funcionários. Segundo o porta voz do grupo, Adauto Duarte, essas empresas fizeram 14.500 admissões nos últimos dois anos, tendo investido fortemente na sua força de trabalho, por meio de qualificação técnica. “A reunião foi inédita e representa uma evolução nas relações do capital e trabalho na região”, declarou.

Segundo o represente das empresas, dentro de 15 dias haverá nova reunião, quando as duas partes – empregados e trabalhadores – examinarão o desempenho da venda de automóveis e do efeito das medidas do governo no estímulo a economia. Segundo informou há uma grande expectativa de que a redução da taxa de juros, determinada pelo governo na quarta feira, possa ampliar as vendas

Participaram da reunião mais de 40 pessoas entre representantes das empresas, dirigentes do sindicato e advogados. Foi discutida uma série de ferramentas que poderá ser utilizadas, eventualmente, para proteção das empresas mais atingidas, como redução da jornada de trabalho com cortes de salários e suspensão de contratos. Segundo Duarte, a posição das empresas é de crença na melhoria nas vendas, “mas elas necessitam de alternativas para negociar com sindicatos. Vamos buscar, porém, aquilo que seja mais viável, sem descartar nenhum opção”, declarou.

O acordo tem duração de 15 dias e não significa a garantia do emprego de forma permanente. O nível de emprego será determinado pela demanda. “Estamos fazendo todo o esforço possível, como a adoção de férias coletivas, banco de horas e licença” declarou. Segundo o presidente do sindicato dos metalúrgicos houve 4.702 demissões em 2008, que inclui os municípios de Igarapé e São João das Bicas. Entre outubro e dezembro foram demitidos 1.637.

COMMENTS