Martins investe R$ 100 milhões na compra de 725 veículos Iveco

Grande parte dos recursos foram aplicados na aquisição de furgões e caminhões semileves para o transporte na cidade de São Paulo e no Rio de Janeiro

Expresso Mirassol vence premiação de logística da Volkswagen do Brasil
PAC irregular em três rodovias de MT
Governo do Paraná não autoriza aumento do pedágio desde 2003

O Grupo Martins investiu R$ 100 milhões na compra de 725 caminhões da Iveco e mais 660 implementos fabricados pela Facchini para renovar sua frota de 1.160 veículos. Grande parte dos recursos foram aplicados na aquisição de furgões e caminhões semileves para o transporte na cidade de São Paulo e no Rio de Janeiro. O diretor de logística do grupo atacadista, Avenor Teixeira de Carvalho disse que a escolha de furgões é uma adaptação à nova legislação de restrição ao tráfego de caminhões na cidade de São Paulo. “Essa é a nossa maior compra – 300 unidades são de caminhões leves e furgões para entregas nas grandes cidades”, ressaltou o executivo.

Segundo Carvalho, 85% dessa compra é destinada à renovação da frota. “Um dos motivos que nos levaram a optar pela Iveco é a média de consumo. Conseguimos atingir 8 quilômetros por litro de combustível nos caminhões semileves”, disse Carvalho. Hoje, além da Iveco o Grupo Martins opera também veículos da Mercedes-Benz e Volkswagen. “Mas com a compra de 725 caminhões a Iveco torna-se a nossa maior parceira com 908 veículos em nossa frota”. Com a compra, a frota da Martins passa a ter idade média de 2 anos. O negócio envolveu também contrato de manutenção de todos os caminhões.

Segundo o presidente da Iveco Latin America, Marco Mazzu, os equipamentos serão entregues até março de 2009, apesar de a lista de espera de alguns modelos, principalmente os pesados, está em torno de 120 dias – “20% da compra já foi entregue ao Grupo Martins”, disse Mazzu. O contrato inclui 305 caminhões semileves da linha Dailly, 405 caminhões semipesados Eurocargo e mais 15 pesados, sendo 10 da linha Iveco Cavallino e cinco Iveco Stralis.

Aumento da capacidade

O diretor de logística ressaltou que além dos investimentos em frota o grupo prevê a construção de dois novos centros de distribuição no próximo ano. “Já definimos que um será no Espírito Santo, o outro na região Centro-Oeste, o que reforçará nossa atuação nessas localidades”, disse. Hoje, a empresa mantém três CDs – em Uberlândia (MG), Manaus e João Pessoa.

“Com novos armazéns em operação vamos aumentar em 35% a capacidade de estocagem, atualmente em torno 140 mil a 155 mil paletes”, disse Carvalho. Os números do grupo são grandiosos. Por mês, a empresa, que opera frota própria na maior parte dos casos, faz de 11 mil a 12 mil viagens e realiza 220 mil entregas. “Nós optamos por ter frota, mas em áreas mais distantes, como na região Norte, contratamos empresa terceirizadas para fazer a distribuição. A participação de terceiros não chega a 15%”.

Alair Martins, que em 17 de dezembro de 1953 começou o negócio, disse que nestes quase 55 anos de vida do grupo teve o momento mais difícil em 1972. “Foi quando decidi ´profissionalizar a empresa”, disse. Planos para abrir o capital? “Ainda não é o momento”.

Redução de ritmo vendas

O “boom” do mercado de caminhões, que nos últimos anos chegou a cerca de 30% de crescimento por ano, deverá desacelerar a partir de 2009. Essa é a previsão do presidente da Iveco Marco Mazzu, para quem as vendas de caminhões deverão crescer entre 10% a 12% a partir do próximo ano. “O mercado vai se estabilizar – é o que estamos observando”, disse o executivo.

Meta antecipada

Apesar disso, quando se fala do desempenho da Iveco, Mazzu é mais otimista e prevê uma participação de 10% nas vendas já a partir de 2009. “Tínhamos estimativa de chegar a esse percentual em 2010, mas a comercialização e o aumento da rede de concessionários nos fizeram antecipar a meta”.
(Gazeta Mercantil/Caderno C – Pág. 2)(Ana Paula Machado)

Link para a matéria

COMMENTS