Caminhão Mercedes-Benz movido a hidrogênio bate recorde de autonomia na Alemanha

Caminhão Mercedes-Benz movido a hidrogênio bate recorde de autonomia na Alemanha

Protótipo alimentado por células a combustível movidas a hidrogênio rodou mais de mil quilômetros com um abastecimento

BOA NOTÍCIA: Mercedes-Benz participa da luta contra a Covid-19 com inteligência industrial
Contran libera vistoria de identificação veicular fora dos pontos credenciados
Implementos rodoviários devem superar metas, diz Anfir

O caminhão Mercedes-Benz GenH2, protótipo da Daimler Trucks movido por tecnologia de célula a combustível, acaba de bater recorde de autonomia com um único abastecimento de hidrogênio na Alemanha.

O veículo fez o trajeto entre as cidades de Wörth am Rhein e a capital Berlim, de cerca de 1.047 quilômetros utilizando 80 quilos de hidrogênio líquido abastecidos nos dois tanques do caminhão.

Como funciona?

A tecnologia de células a combustível é uma das vanguardas em energias alternativas para o transporte pesado de cargas. O caminhão da Mercedes-Benz é um protótipo movido a eletricidade. Seu motor é alimentado pela energia gerada pelo sistema de células a combustível, alimentado pelo hidrogênio dos tanques e pelo oxigênio existente no ar. Uma reação química acontece dentro das células provocando uma eletrólise entre as moléculas de hidrogênio e de oxigênio e resulta na liberação de energia elétrica e de água. A energia elétrica resultante da reação é enviada para as baterias do caminhão e para o motor, fazendo o veículo se mover.

Segundo Daimler, a viagem do Mercedes-Benz GenH2 teve início no dia 25 de setembro, segunda-feira, no Centro de Atendimento a Clientes da empresa em Wörth am Rhein, perto de Stuttgart, no Sudoeste da Alemanha, e terminou na manhã de 26 de setembro, terça-feira, na capital Berlim, que fica no Nordeste do país. O caminhão rodou com peso bruto total combinado de 40 toneladas e completou o trajeto sem emitir um grama sequer de CO2.

O protótipo foi abastecido em seus dois tanques com 80 quilos de hidrogênio líquido (HL2) refrigerado a 253º C negativos. Segundo a Daimler, esta temperatura extremamente baixa foi mantida durante toda a viagem sem resfriamento ativo graças ao isolamento dos tanques.

Parceria com a Volvo

As células a combustível utilizadas no Mercedes-Benz GenH2 foram produzidas pela cellcentric, empresa join-venture com o Grupo Volvo, responsável pelas pesquisas e pelo desenvolvimento da tecnologia. A Daimler Trucks espera que os primeiros caminhões movidos a células a combustível sejam testados por clientes em condições reais de operação nos próximos anos com o objetivo de estabelecer a produção em série do caminhão Mercedes-Benz GenH2 na Alemanha depois de 2025.

Leo Doca – Agência Transporta Brasil (ATB)
leodoca@transportabrasil.com.br

Clique aqui para assistir a vídeos sobre transporte todos os dias na TV Transporta Brasil

+ Saiba tudo do mundo do transporte rodoviário. Curta nossa página no Facebook!
Agência Transporta Brasil – ATB

COMMENTS