Pesquisa aponta perfil do transporte de cargas no MS

A pesquisa encomendada pelo Conselho Temático de Infra-estrutura (Coinfra) foi feita com empresas de pequeno porte (33,68%), médio porte (27,37%), grande porte (13,68%) e microempresas (33,68%). 68,42% estão localizadas em Campo Grande

Viracopos registra melhor trimestre na movimentação de passageiros
DHL contrata mais 200 pessoas no Brasil
TAM e Gol investirão US$ 12,3 bilhões no longo prazo para aumentar frota própria

Para traçar um perfil da estrutura logística do transporte de cargas em Mato Grosso do Sul, o Instituto Euvaldo Lodi (IEL/MS) realizou uma pesquisa com 95 empresas de diversos setores no Estado. A pesquisa encomendada pelo Conselho Temático de Infra-estrutura (Coinfra) foi feita com empresas de pequeno porte (33,68%), médio porte (27,37%), grande porte (13,68%) e microempresas (33,68%). 68,42% estão localizadas em Campo Grande, 65 delas, as outras 30 são de 15 municípios do interior. 58,52% são empresas com vendas regionais, 23,91% exportam e 19,57% possuem vendas no mercado local.

A pesquisa apontou que a média de utilização do transporte rodoviário é o maior, com 96%, opção de 92% das empresas pesquisadas. Em segundo lugar vem o transporte aquaviário, utilizado com 42,50% de frequência. Somente 1% das empresas pesquisadas utiliza o transporte ferroviário e a média de utilização é de 25%. Quanto ao transporte aéreo, 11% das empresas declaram que o utilizam, porém a média de utilização é de 24,82%.

De acordo com a análise, a maior dificuldade no transporte de cargas pelas rodovias no Estado é o alto preço do frete, citado por 30,21% das empresas pesquisadas, seguido das más condições das estradas e rodovias (18,75%) e o tempo do transporte (14,58%).

No caso do transporte aéreo as maiores reclamações ficaram acerca dos custos com as tarifas aéreas, que apareceu em 42,17% das respostas. A categoria outros foi a segunda colocada, com 18,07%, que trata de problemas como: as empresas não são flexíveis, os tipos de produto são inviáveis para transporte aéreo, impostos, entre outros.

O trabalho de pesquisa foi feito com a intenção de identificar a opinião do empresário sob a ótica da demanda de produtos e a necessidade de colocá-los no mercado. As empresas pesquisadas são de Campo Grande e das cidades de Aquidauana, Bodoquena, Caarapó, Costa Rica, Coxim, Dourados, Itaporã, Ivinhema, Nova Andradina, Ponta Porã, Ribas do Rio Pardo, Rio Brilhante, Rio Verde de Mato Grosso, Sidrolândia e Três Lagoas. (Rogerio Valdez Gonzalez, do Notícias MS)

Link para a matéria

COMMENTS