Trabalhadores têm medo de demissão com férias coletivas decretadas por montadora

"A situação é passageira e a produção se normalizará dentro de dois a três meses", informa a assessoria da GM

Abraciclo prevê desempenho inferior em 2009
Vale aceita reduzir preço em 10%, diz associação chinesa
Petrobras inaugura sua 1ª usina de biodiesel

A montadora General Motors anunciou que entraram em férias coletivas, a partir de hoje (3), os funcionários de São Caetano do Sul (na região do Grande ABC, em São Paulo), São José dos Campos (interior do estado), Mogi das Cruzes (na Grande São Paulo) e Gravataí (RS).

Segundo a assessoria de imprensa da GM, as férias fazem parte de uma série de medidas para adequar os estoques de fábricas e das concessionárias Chevrolet.

“A situação é passageira e a produção se normalizará dentro de dois a três meses”, informa a assessoria da GM. A assessoria informou que demissões são assunto descartado pela empresa.

Os funcionários da montadora, porém, estão preocupados com a decisão. “O pessoal está com medo de perder o emprego”, relatou o metalúrgico Ademir Justino Cassemiro, funcionário da GM em São Caetano. “A crise é mundial, não sabemos como vai nos atingir.”

O secretário-executivo da Força Sindical e presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Caetano, Aparecido Inácio da Silva, não tem uma previsão sobre o que pode acontecer nos próximos meses. “Os trabalhadores estão preocupados. Há insegurança no ar, mas, no momento, não há nada a ser feito, só esperar”, afirmou.

Link para a matéria

COMMENTS