Dragagem em Itajaí traz disputa por serviço

Os serviços foram contratados em caráter emergencial pela Secretaria Especial do Portos (SEP), para recuperar as docas que foram parcialmente destruídas pelas chuvas em Santa Catarina

Anfavea mantém previsão de vender 3 bi este ano
Modelo de privatização de aeroportos deve ficar pronto em 2009, diz Jobim
Trem-bala pode ter um “parador” em paralelo

As obras de dragagem (aprofundamento do canal), necessárias a recuperação do Porto de Itajaí , maior porto exportador de itens frigorificados da América Latina, estão atrasadas, e, parece ter-se iniciado uma queda-de-braço entre os envolvidos no processo. Os serviços foram contratados em caráter emergencial pela Secretaria Especial do Portos (SEP), para recuperar as docas que foram parcialmente destruídas pelas chuvas em Santa Catarina.

Na licitação de urgência, o consórcio vencedor, constituído pela EIT Empresa Industrial Técnica, a DTA Engenharia e pela Equipav Pavimentação e Comércio, além da CHEC Dredging e CO, representante da chinesa Shanghai Dredging, deveriam deslocar duas dragas (embarcações especiais para esse tipo de serviço) que estavam em serviço, uma na Argentina e uma no Rio de Janeiro, e que deveriam ter chegado a Itajaí há dois dias.

Fontes ligadas ao Conselho de Autoridade Portuária (CAP) informaram de que será encaminhado um pedido à SEP para que a segunda colocada na concorrência assuma a empreitada, mas a secretaria, que pagará R$ 17,5 milhões pelo aprofundamento do canal, informou que houve um problema burocrático na liberação das embarcações (que executavam serviços em outros locais), mas que tem a expectativa de que elas cheguem em Santa Catarina, ainda esta semana.

Caso a SEP tivesse de optar pela segunda concorrente da licitação, teria um ônus de cerca de R$ 10 milhões a mais do que a proposta vencedora. (Fabíola Binas-DCI)

Link para a matéria

COMMENTS