Copa do Mundo vai acelerar execução de obras, diz ministro

A planilha de gastos com as obras, no entanto, só poderá ser elaborada com exatidão a partir de março de 2009, depois que a Federação Internacional de Futebol (Fifa) anunciar as 12 cidades brasileiras que sediarão os jogos. Dezoito cidades concorrem

Caminhão pesado puxa alta das vendas das montadoras
Para especialistas, crise financeira não afetará diretamente o setor de biocombustíveis
Wilson Sons adquire base operacional da Brasco

O ministro do Turismo, Luiz Barretto, afirmou que a Copa do Mundo de Futebol em 2014 vai acelerar a execução de obras importantes para o País, principalmente as de mobilidade urbana. “As obras de infra-estrutura nas cidades são um legado inquestionável”, disse o ministro, que participou hoje, na Câmara, da abertura do 10º Congresso Brasileiro da Atividade Turística (Cbratur).

A planilha de gastos com as obras, no entanto, só poderá ser elaborada com exatidão a partir de março de 2009, depois que a Federação Internacional de Futebol (Fifa) anunciar as 12 cidades brasileiras que sediarão os jogos. Dezoito cidades concorrem.

Barretto lembrou que, após a definição das cidades-sede, o governo federal lançará uma linha especial do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) para garantir as obras nessa área e também em outras, como a de saneamento e o setor de portos e aeroportos.

Ainda segundo o ministro, o governo firmou acordo com a Fundação Getúlio Vargas para a elaboração anual, até 2014, de um diagnóstico dos problemas de 65 cidades que são destaque para o turismo, com ênfase nas 12 que sediarão os jogos. A partir desse diagnóstico, será possível direcionar investimentos. Barretto afirmou, no entanto, que o sucesso da empreitada dependerá de uma parceria com a iniciativa privada. Ao governo, disse, cabe cuidar da infra-estrutura. Já os investimentos em estádios e gastos com seleções ficarão por conta da Fifa e dos clubes de futebol.

Setor aéreo

No evento, a presidente da Empresa Estadual de Turismo do Estado do Amazonas (Amazonastur), Oreni Braga, cobrou investimentos na integração aérea do País. “Como a logística aérea vai se comportar em uma Copa do Mundo? Como acomodar o turista que precisa se deslocar com velocidade para assistir aos jogos?”, questionou, lembrando as deficiências do setor aéreo brasileiro.

O presidente da Frente Parlamentar de Turismo, deputado Alex Canziani (PTB-PR), informou que os parlamentares estão empenhados no desenvolvimento do turismo no Brasil. Como exemplo, ele lembrou que a proposta orçamentária de 2008 previa R$ 539 milhões para o Ministério do Turismo, mas os parlamentares conseguiram aprovar R$ 2,6 bilhões. Desse valor, disse, mais de R$ 2 bilhões foram direcionados a investimentos.

Oportunidade

Na opinião do ministro do Esporte, Orlando Silva, que também participou da abertura do Cbratur, a Copa é uma oportunidade única de promover o Brasil, uma vez que o evento será transmitido para todo o mundo. “Devemos aproveitar a oportunidade e difundir o que há de melhor no País, que possui estabilidade política e econômica”, disse.

Orlando Silva disse estar confiante de que o Brasil promoverá um evento de sucesso, mas lembrou que as cidades escolhidas para os jogos deverão apresentar à Fifa um contrato de responsabilidade. Quem não entregar esse contrato poderá ser excluído do evento.

O presidente da Comissão de Turismo e Desporto, deputado Albano Franco (PSDB-SE), afirmou que vencer a Copa fora de campo é um desafio maior do que vencer a competição. Ele disse que o sucesso dependerá de todos os brasileiros, e o Congresso Nacional terá participação ativa nos preparativos.

O Cbratur está sendo promovido pela Comissão de Turismo e Desporto da Câmara, em conjunto com as seguintes entidades: Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo do Senado, frentes parlamentares do Turismo e do Esporte, Confederação Nacional do Comércio (CNC), Serviço Social do Comércio (Sesc) e Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac). O Cbratur também tem o apoio dos ministérios do Esporte e do Turismo. O evento reúne parlamentares, empresários, gestores públicos e profissionais ligados ao turismo e ao esporte. O encerramento está previsto para as 18 horas.

Link para a matéria

COMMENTS