Restrições ao caminhão no Rio voltam a valer

Supremo Tribunal Federal suspendeu liminares de empresas que tinham o benefício de circular no horário de restrições por meio de medida legal

Primeiro Airbus A350 com asas completas aparece em testes na França
Bombardier fecha seu maior contrato, no valor de U$ 7,8 bilhões
Logística estrangula avanço da produção local

De acordo com reportagem publicada no Jornal do Brasil desta segunda-feira, 1º de setembro, o decreto municipal que proíbe a circulação de caminhões e restringe as operações de carga e descarga nos horários de pico nas 26 principais vias do Rio de Janeiro volta a vigorar. As empresas de transporte de cargas que se beneficiavam de liminares contra a restrição tiveram o efeito das medidas suspensos pelo Supremo Tribunal Federal, que considera que estas companhias já tiveram tempo para se adequarem às restrições.

O decreto da prefeitura proíbe a circulação de caminhões e as operações de carga e descarga nas principais ruas da Zona Sul, do Centro, da Tijuca, de Vila Isabel, do Méier, de Jacarepaguá e da Barra, desde maio. Várias empresas recorreram à Justiça e os veículos continuaram a circular. Mas todas as liminares foram suspensas pelo STF na última sexta-feira.

A proibição vale para todos os dias úteis, das 6h às 10h, e das 17h às 20h. A multa para quem desrespeitar o decreto é de R$ 85, além de quatro pontos na carteira.

Segundo o despacho do presidente do STF, ministro Gilmar Mendes, os estudos técnicos realizados pelos órgãos municipais indicam que o trânsito de veículos de carga e a realização de operações de carga e descarga nos horários de pico contribuem para a maior lentidão do tráfego, a dificuldade de locomoção da população, a ocorrência de colisões de grandes proporções, além de provocar congestionamentos ocasionados por defeitos nos carros.

COMMENTS