Carga tributária do óleo diesel reduz em 11,77% com congelamento de pauta

O PMPF congelado foi ratificado na última divulgação pelo Ato da Comissão Técnica Permanente (Cotepe) do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz)

Dnit faz concurso para preencher 100 vagas
Bauru já tem motocicleta elétrica
Governador Requião anuncia projeto de duplicação da Rodovia dos Minérios

A carga tributária média do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS) do óleo diesel já foi reduzida de 17% para 15% em Mato Grosso, desde 2005, ou seja, uma diminuição de 11,77%. A retração deve-se ao fato do Preço Médio Ponderado ao Consumidor Final (PMPF) do diesel (pauta) estar congelado desde 2005, por determinação do governador Blairo Maggi para beneficiar os setores de transportes e produtivo.

O secretário de Fazenda, Eder Moraes Dias, observa que o Governo do Estado vem cobrando o PMPF do óleo diesel abaixo do que é apontado no levantamento de preços quinzenal realizado pela Assessoria de Pesquisa Econômica Aplicada (Apea) da Sefaz nos postos de combustíveis do Estado. O PMPF serve como base de cálculo para efeito de tributação do ICMS.

Na pesquisa de preços feita na última quinzena, a Apea apurou que a pauta efetivamente praticada em Mato Grosso é de R$ 2,4084. Contudo, o valor vigente cobrado pela Sefaz é R$ 2,1269, desde 2005. O PMPF congelado foi ratificado na última divulgação pelo Ato da Comissão Técnica Permanente (Cotepe) do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz).

Em 2005, o governador Blairo Maggi determinou que os sucessivos reajustes de preços do combustível não fossem repassados ao PMPF do diesel, no sentido de desonerar a produção em Mato Grosso e, conseqüentemente, beneficiar a sociedade com preços menores das mercadorias finais.

Medidas

Desde 2003, quando o governador Blairo Maggi assumiu o comando do Estado de Mato Grosso, uma série de medidas vem sendo implementadas para beneficiar os setores de transportes e produtivo, no sentido de reduzir custos e os preços dos produtos. Uma proposta do Governo de Mato Grosso aprovada pelo Conselho de Política Fazendária (Confaz), por exemplo, foi responsável por tributar nacionalmente o ICMS do biodiesel (B-100) em 12%. A redução de 17% para 12% foi defendida pelo próprio governador Blairo Maggi, durante reunião do Confaz, em Cuiabá, no ano de 2006.

Outra medida foi a redução em 33% do Imposto Sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) para veículos pesados, o que comprova ser esta a menor carga tributária do país, fixada em 1%. O transporte de passageiros também teve sua carga tributária reduzida, de 17% para 4%.

COMMENTS