Estado investe R$ 120 milhões em estradas

Ligação entre Ribeirão Pires e a Zona Leste da Capital, conhecida como a estrada da Quinta Divisão -, terão a construção de rotatórias e de novos acessos, além de recapeamento e recuperação dos acostamentos

Nivea anuncia novo Diretor de Supply Chain
País precisa investir em transportes para sediar jogos, diz Monti
Comissão aprova uso da Cide para construir ciclovias

Representantes do DER (Departamento de Estradas de Rodagem), do governo estadual, anunciaram ontem em Ribeirão Pires investimento de cerca de R$ 120 milhões em uma série de intervenções em estradas da região. As rodovias Índio Tibiriçá (SP-31) e Deputado Antônio Adib Chammas (SP-122) e o Ramal Sapopemba – ligação entre Ribeirão Pires e a Zona Leste da Capital, conhecida como a estrada da Quinta Divisão -, terão a construção de rotatórias e de novos acessos, além de recapeamento e recuperação dos acostamentos.

Além destas vias, estão em obras duas importantes ligações na região, a Estrada das Sete Cruzes, que liga Ribeirão Pires a Suzano, e a Avenida Dona Benedita Franco da Veiga, em Mauá. A recuperação das duas faz parte do Pró-Vicinais (Programa de Recuperação de Estradas Vicinais) e tem investimento de R$ 6 milhões.

A expectativa dos técnicos do DER é de que as obras das estradas tenham início em setembro, mas a data depende da finalização do processo licitatório, que tem entrega de propostas prevista para 30 de julho. O prazo de entrega é de 12 meses após o início.

Entre as intervenções propostas, estão a construção de cinco rotatórias e uma alça de acesso na Rodovia Índio Tibiriçá, além de recuperação de um viaduto em Ribeirão Pires – conhecido como Ponte Seca. O investimento na SP-31 será de R$ 73 milhões e contemplará ainda a segregação das pistas em vários pontos para minimizar a ocorrência de acidentes e atropelamentos.

Importantes acessos no perímetro urbano de Ouro Fino Paulista e Jardim Caçula, em Ribeirão Pires, se completarão com duas outras rotatórias executadas nos acessos à cidade. A Rodovia Índio Tibiriçá terá ainda uma ligação direta com a SP-122, que liga Ribeirão Pires a Paranapiacaba, passando por Rio Grande da Serra.

Com as obras a serem executadas e a finalização do Trecho Sul do Rodoanel, o diretor regional do DER da Grande São Paulo, Deni Loretti Filho, descartou a duplicação da Índio Tibiriçá. “Os estudos que temos apontam que os caminhões deixarão de circular pela rodovia e a Índio Tibiriçá ficará com o trânsito basicamente local e comportará esse fluxo por um bom tempo.”

Única ligação para Paranapiacaba, em Santo André, a SP-122 terá também importantes obras, com três novas rotatórias – na intersecção com a SP-31, na Avenida Francisco Tometich e em frente à indústria química Solvay -, além de um novo acesso na chegada a Rio Grande da Serra. A via será totalmente recapeada e terá a pavimentação dos acostamentos. O custo será de R$ 25 milhões.

O Ramal Sapopemba, via subutilizada em razão do péssimo estado de conservação, consumirá outros R$ 22 milhões para sua recuperação, que inclui obras em pontes no trecho urbano no bairro Quarta Divisão, em Ribeirão Pires, além de quatro novos acessos e recapeamento e recuperação dos acostamentos, que permitirão a ligação com a Capital.

A Prefeitura de Ribeirão Pires recebeu as intervenções como um pacote de boas notícias, já que, como contrapartida, arcará apenas com as desapropriações que venham a ser feitas. O secretário de Obras, Agostinho Coutinho Gomes, disse que ainda não há como estimar o custo, já que não se sabe quantas desapropriações serão necessárias. 

COMMENTS