Ford Maverick: autonomia e economia na primeira picape híbrida do Brasil

Ford Maverick: autonomia e economia na primeira picape híbrida do Brasil

Desempenho e média de consumo acima dos 18 quilômetros por litro completam esta picape de estilo único e acabamento premium

Quer locar um caminhão? Com a Vamos é possível!
Petronas investe em conhecimento para uma maior rentabilidade
CEO da Marcopolo vai alçar novos voos

Quando a Ford resolveu trazer a picape Maverick ao Brasil, inaugurando uma categoria inédita em seu line-up por aqui, as grandes perguntas eram: a versão híbrida também virá? Qual será seu preço em relação à versão a gasolina?

Pouco tempo depois de lançar a versão simples no mercado brasileiro, a fabricante anunciou a chegada das primeiras unidades da Maverick Hybrid ao país, surpreendendo o mercado com a equiparação dos preços entre as duas versões. A Maverick Hybrid não tem o mesmo ronco de sua irmão movida a gasolina e não acelera de zero a 100 quilômetros por hora em pouco mais de sete segundos, mas tem um excelente desempenho e consegue um feito até então inédito entre as picapes à venda no Brasil: uma média de consumo perto dos 18 quilômetros por litro de combustível.

Motor diferentão

Isso acontece graças a seu sistema híbrido de propulsão, que conta com um motor elétrico e outro movido a gasolina de 2,5 litros que utiliza o curioso ciclo Atkinson. Para simplificar, este tipo de motor tem a taxa de expansão maior do que a de compressão, resultando em uma maior eficiência energética. Com isso, o motor consegue aproveitar melhor a gasolina, ainda que tenha menos potência.

Aliado ao motor elétrico, o motor a combustão interna da Maverick entrega um conjunto eficiente e robusto para os usos urbano e rodoviário da picape. Nos trechos em que o motorista “tira o pé” e utiliza menos torque e potência, o motor elétrico trabalha silenciosamente, mantendo o veículo em movimento sem muito gasto energético. Nas arrancadas e nos momentos de aceleração maior, o motor a gasolina entra em ação. Tudo isso é visível no cluster da Maverick, que exibe quanto de movimento elétrico está acontecendo e quanto de torque térmico está sendo usado.

A grande surpresa fica para o desempenho, que não é tão inferior ao da versão 2.0 turbo. O conjunto híbrido entra em ação prontamente quando o acelerador é mais exigido para aproveitar a força dos motores a combustão e elétrico. Os dados de fábrica informam aceleração de 0 a 100 km/h em bons 8,7 segundos, apenas 1,6 segundo mais lenta que a FX4.

Na prática, o desempenho da picape ainda é alto, proporcionando grande aceleração, e o alcance do veículo nos trechos rodoviários é grande, pois ela aproveita muito bem a gasolina consumida. A transmissão é automática do tipo CVT e a potência combinada chega a 194 cavalos.

O conforto interno da Ford Maverick é um caso à parte. O acabamento bicolor dos bancos, o ajuste elétrico dos assentos, a posição de direção e os instrumentos têm o estilo único do veículo.

O pacote de equipamentos de série inclui traz seis airbags, controles de estabilidade e tração, bancos de couro, direção elétrica, freio de estacionamento elétrico, ar-condicionado automático digital de duas zonas, chave presencial, banco do motorista com regulagem elétrica e central multimídia com Android Auto e Apple CarPlay. Na parte de segurança ainda há frenagem autônoma emergencial e faróis de LED com acendimento e comutação automáticos do facho alto.

Para um veículo de sua faixa de preço, entretanto, a Maverick fica devendo um carregador de celular por indução, uma multimídia com conexão sem fio, sensores de estacionamento e assistências de condução, como controle de cruzeiro adaptativo, sensor de ponto cego e assistente de manutenção em faixa.

A cabine mantém as soluções criativas, como os diversos porta-objetos nas portas e no console central, além do compartimento de 58 litros sob o assento do banco traseiro. Quem viaja atrás ainda pode abrir a janela que dá acesso à caçamba ao toque de um botão – acionado no painel pelo motorista ou passageiro da frente.

Construída a partir da plataforma da última geração do Focus, a Ford Maverick tem uma dinâmica exemplar nas curvas. Mesmo com ausência da tração integral, que dá melhor aderência, e da suspensão traseira multilink, a picape é estável e segura em velocidades mais altas e mudanças de direção. E estas são as outras principais diferenças entre a versão híbrida e da FX4: a Maverick movida a gasolina conta com tração 4×4 integral e a moderna suspensão traseira multilink. Na híbrida, a tração é apenas dianteira com suspensão de eixo de torção e molas vetoradas.

Em nosso teste de 20 dias, a Maverick Hybrid foi utilizada para rodar pelas ruas da cidade de São Paulo e por rodovias do interior do Estado, incluindo um roteiro até a região de Pirassununga, com trechos não asfaltados no itinerário. Rodamos um total de 900 quilômetros com carga total e todos os ocupantes elogiaram o conforto interno.

A dinâmica de direção da Maverick Hybrid inspira pela estabilidade, devido ao baixo centro de gravidade da picape, e pela agilidade nas ruas. Não é o melhor veículo para se rodar em estradas lamacentas ou cheias de poeira e a suspensão traseira castiga os ocupantes nos trechos mais turbulentos, chegando a ter uma vibração bastante desagradável nas costelas de vaca.

Mas o veículo compensa isso com o conforto de sobra para o motorista e demais ocupantes nos trechos rodoviários asfaltados. O silêncio a bordo também é um destaque positivo.

No geral, a Ford Maverick Hybrid é uma picape com alto conforto, performance muito satisfatória e um custo-benefício excelente quando se leva em conta seu trem de força híbrido que proporciona um consumo baixo de gasolina. Com seu estilo único, nesta versão Orange Delhi que testamos, o carro chama atenção nas ruas e esbanja beleza. Recomendamos fortemente.

Destaque de eficiência na tabela do Inmetro

A nova tabela do Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular (PBEV) divulgada pelo Inmetro, aponta a Ford Maverick Hybrid como a picape de melhor rendimento energético do mercado. Primeira e única picape com sistema híbrido à venda no Brasil, ela se destaca entre os mais de 80 modelos do segmento avaliados no ranking com um consumo de 15,7 km/l de gasolina na cidade e 13,6 km/l na estrada, ou 1,44 MJ/km, e autonomia de mais de 800 km.

A Maverick Hybrid Lariat também é a única a contar com o Selo CONPET de Eficiência Energética. A lista do Inmetro inclui uma picape com consumo energético menor, de 0,75 MJ/km, porém é um modelo totalmente elétrico que oferece autonomia de menos de 230 km.

A Ford Maverik Hybrid Lariat também é bem equipada. Entre outros itens, vem com painel digital de 6,5 polegadas, multimídia SYNC com tela de 8 polegadas e acesso a Apple CarPlay e Android Auto, faróis de LED automáticos, abertura da porta por teclado, ar-condicionado digital dual-zone, assistente de frenagem com detecção de pedestres e ciclistas, controle eletrônico de estabilidade e tração, câmera de ré, assistente de partida em rampa, monitoramento de pressão dos pneus e sete airbags com detecção inteligente de ocupantes.

A nova tabela PBEV do Inmetro traz as médias de 747 modelos e versões de carros de passeio, utilitários, comerciais leves, picapes e esportivos hoje disponíveis no mercado, produzidos por mais de 30 marcas diferentes. Ela inclui lançamentos recentes e veículos do ano passado que não tiveram mudanças. A avaliação segue um padrão de testes controlados, com a atribuição de notas A até E, tanto dentro da categoria como no ranking geral.

Leo Doca – Agência Transporta Brasil (ATB)
leodoca@transportabrasil.com.br

Clique aqui para assistir a vídeos sobre transporte todos os dias na TV Transporta Brasil

+ Saiba tudo do mundo do transporte rodoviário. Curta nossa página no Facebook!
Agência Transporta Brasil – ATB

COMMENTS