Mercedes-Benz do Brasil está eletrificada

Mercedes-Benz do Brasil está eletrificada

Empresa apresentou chassi de ônibus urbano 100% elétrico que será fabricado em São Bernardo do Campo (SP) a partir do ano que vem

Cummins estreia pacote de soluções integradas com novo motor X13
Mercedes-Benz avança no transporte público paranaense
AEA se prepara para Fase II do Rota 2030

A Mercedes-Benz deu oficialmente seu primeiro passo rumo ao transporte de emissão zero no Brasil. E começou pelos ônibus. A fabricante apresentou esta semana seu primeiro chassi elétrico de ônibus, o modelo eO500U, projetado para o transporte urbano de passageiros.

O chassi vai começar a ser produzido no ano que vem e já tem São Paulo como local previsto para a estreia das operações. “Nosso chassi tem dois motores elétricos ZF nas rodas traseiras que somam 380 cavalos de potência no pico e 204 cavalos de potência constante. Esta solução elétrica tem um grande potencial de mercado, pois, além de São Paulo, que tem uma legislação para o controle de emissões e o estímulo à eletrificação, temos também Vitória (ES), Curitiba (PR), Salvador (BA) e Belo Horizonte (MG), que são municípios que estão discutindo este tema. É uma tecnologia que precisa de investimentos e subsídios e o elétrico vai começar em São Paulo porque aqui existe esta política para a implementação desta qualidade de serviço. É uma relação do operador com o poder público”, explica Walter Barbosa, diretor de Vendas e Marketing Ônibus da Mercedes-Benz do Brasil.

Segundo a Mercedes, o eO500U foi 100% projetado e desenvolvido pela engenharia brasileira da empresa e é fruto de um investimento de R$ 100 milhões para a criação do projeto, fora todo o investimento feito pela montadora em sua linha de ônibus com tecnologia 4.0 na fábrica de São Bernardo do Campo, no ABC Paulista.

“Nossa decisão estratégica de apresentar uma solução em eletromobilidade primeiramente em ônibus, mais especificamente no segmento urbano, foi pensando no coletivo e no cenário das cidades. Nós temos experiência de 65 anos no Brasil, sempre oferecendo novas tecnologias para o transporte e, agora, de encontro às demandas dos nossos clientes e da sociedade, acrescentaremos ao nosso universo de multissoluções a tecnologia elétrica”, diz Karl Deppen, presidente da Mercedes-Benz do Brasil & CEO América Latina. “Os ônibus dividem espaço nas grandes cidades com automóveis e pessoas, bicicletas, motos e outros meios de locomoção. Esses lugares estão sendo preparados para receberem novas tecnologias para a mobilidade, levando em consideração a eficiência, o desenvolvimento econômico e a sustentabilidade ambiental”.

Estratégia eletrificada

Além do produto 100% elétrico, a Mercedes-Benz também se preparou para oferecer serviços especializados aos clientes, dedicados a veículos elétricos. Como é uma tecnologia nova, entrante, a empresa se preparou para oferecer conhecimento e suporte para que os operadores trabalhem com segurança com os novos ônibus. Haverá uma consultoria especializada para as empresas de ônibus e também para os gestores do transporte coletivo urbano, explicando o funcionamento dos veículos, a infraestrutura de abastecimento de energia e recarga de baterias e tudo o que envolva a nova operação. “Junto com nossos clientes e parceiros, iremos construir as melhores oportunidades nesse novo cenário de transformações tecnológicas, o que demanda um novo olhar para o dia a dia da operação”, afirma Roberto Leoncini. “Eles terão nossa total dedicação para esse momento em que vão adotar a nova tecnologia. Estaremos com os clientes em todo o novo ciclo do nosso veículo, tanto brasileiros como os latino-americanos que também vão entrar nessa nova era conosco, sempre, visando a eficiência tecnológica e de custos operacionais que irão garantir a viabilidade dessa solução para as empresas de transporte de passageiros”.

Autonomia e tempo de carregamento

O novo produto é um chassi modelo Padron com especificação de eixos 4×2 e faz parte da família de chassis O 500 da Mercedes, uma linha histórica. Ele é desenvolvido para piso baixo e pode ser implementado com carrocerias de até 13,2 metros de comprimento. A Mercedes-Benz informou que a autonomia do ônibus é de 250 quilômetros.

Os motores elétricos traseiros são da ZF e ficam acoplados às rodas. O chassi vem equipado com sistema eletrônico de frenagem EBS e também sistema de regeneração de energia. Quando o condutor tira o pé do acelerador ou freia o veículo, os motores se transformam em geradores e devolvem energia para as baterias.

Segundo a Mercedes, o sistema de recarga das baterias é do tipo plug-in, ou seja, utiliza recarga externa, da rede elétrica ou de fontes alternativas. A fabricante informou que uma recarga completa das baterias leva três horas para ser feita.

Clique aqui para conhecer nosso conteúdo no Facebook

Leo Doca – Agência Transporta Brasil (ATB)
leodoca@transportabrasil.com.br

+ Saiba tudo do mundo do transporte rodoviário. Curta nossa página no Facebook!
Agência Transporta Brasil – ATB

 

COMMENTS