Rodovias têm fluxo livre e greve dos caminhoneiros não ganha adesão nacional

Rodovias têm fluxo livre e greve dos caminhoneiros não ganha adesão nacional

Paralisação por melhores condições de frete, preço do diesel e contra os planos do governo de investir em cabotagem não teve grande adesão pelo País. Transporta Brasil acompanha em todas as frentes

Vipal gera conhecimento para gestores de frota
Plantão Covid-19 – episódio 24 – Os ônibus e a nova realidade, com Antonio Ferro
Memorial da Segurança do Transporte reabre as portas para visitas em Curitiba (PR)

A Agência Transporta Brasil está acompanhando a movimentação nas estradas e principais polos de carga do País nesta segunda-feira, 1º de fevereiro de 2020, quando representantes de caminhoneiros autônomos ameaçaram entrar em greve e fazer uma paralisação.

Em pauta, estão pedidos antigos dos caminhoneiros, como a diminuição do custo com o diesel, um tabelamento com melhores valores nos fretes e, agora, o fim dos planos do governo federal de investir em navegação de cabotagem, colocando cargas nacionais nos navios e tirando-as dos caminhões.

Nenhum registro de problema

Até o fechamento desta matéria, às 14h55, o Brasil não tinha muitos pontos de atenção devido à paralisação. Pela manhã, houve bloqueio parcial na Rodovia BR-304 em Mossoró, no Rio Grande do Norte.

Houve também manifestações no Paraná, São Paulo, Bahia e Rio Grande do Sul. Até o momento, as cargas fluem normalmente pelo Brasil e não há registros de problemas ou desabastecimento.

Seguimos acompanhando a situação em tempo real.

Clique aqui para conhecer nosso conteúdo no Facebook

Leo Doca – Agência Transporta Brasil (ATB)
leodoca@transportabrasil.com.br

+ Saiba tudo do mundo do transporte rodoviário. Curta nossa página no Facebook!
Agência Transporta Brasil – ATB

COMMENTS