Rodovias têm fluxo livre e greve dos caminhoneiros não ganha adesão nacional

Rodovias têm fluxo livre e greve dos caminhoneiros não ganha adesão nacional

Paralisação por melhores condições de frete, preço do diesel e contra os planos do governo de investir em cabotagem não teve grande adesão pelo País. Transporta Brasil acompanha em todas as frentes

Ambev compra 224 caminhões e furgões da Iveco
Azul voa para a China pela primeira vez em sua história
Mercedes-Benz faz grande venda de ônibus para a República Dominicana

A Agência Transporta Brasil está acompanhando a movimentação nas estradas e principais polos de carga do País nesta segunda-feira, 1º de fevereiro de 2020, quando representantes de caminhoneiros autônomos ameaçaram entrar em greve e fazer uma paralisação.

Em pauta, estão pedidos antigos dos caminhoneiros, como a diminuição do custo com o diesel, um tabelamento com melhores valores nos fretes e, agora, o fim dos planos do governo federal de investir em navegação de cabotagem, colocando cargas nacionais nos navios e tirando-as dos caminhões.

Nenhum registro de problema

Até o fechamento desta matéria, às 14h55, o Brasil não tinha muitos pontos de atenção devido à paralisação. Pela manhã, houve bloqueio parcial na Rodovia BR-304 em Mossoró, no Rio Grande do Norte.

Houve também manifestações no Paraná, São Paulo, Bahia e Rio Grande do Sul. Até o momento, as cargas fluem normalmente pelo Brasil e não há registros de problemas ou desabastecimento.

Seguimos acompanhando a situação em tempo real.

Clique aqui para conhecer nosso conteúdo no Facebook

Leo Doca – Agência Transporta Brasil (ATB)
leodoca@transportabrasil.com.br

+ Saiba tudo do mundo do transporte rodoviário. Curta nossa página no Facebook!
Agência Transporta Brasil – ATB

COMMENTS