Frota de aeronaves de companhias do Brasil é uma das mais jovens do mundo

Frota de aeronaves de companhias do Brasil é uma das mais jovens do mundo

Média de idade dos aviões das quatro maiores empresas nacionais é de 6,7 anos de uso, cinco a menos que a média mundial

Aviação doméstica brasileira transportou cerca de seis milhões de passageiros em fevereiro
Passageiros aéreos devem ficar atentos ao fim do horário de verão
Demanda por voos domésticos em cai 5,47%

aeroporto-aereo-manaus

As fundadoras da Abear (Associação Brasileira das Empresas Aéreas), Avianca, Azul, Gol e Tam, juntas, contam com uma das frotas mais jovens do mundo. A média é de 6,7 anos de uso, cinco anos menos que a média mundial, que é de 11,7 anos.

A análise da associação utilizou como fonte uma série de dados da ICAO (sigla em inglês da Organização Internacional de Aviação Civil) e do portal Airfleets.net. O estudo priorizou empresas de capital aberto e que fossem representativas em seu mercados de atuação.

“Esse tipo de frota traz uma série de benefícios para seus operadores, como motores mais econômicos e eficientes, menos ruidosos, com custo de manutenção mais baixo e emissão de poluentes inferior”, comenta o consultor da Diretoria de Segurança e Operações de Voo da Abear, Paulo Roberto Alonso.

Por outro lado, os aviões novos têm custos de leasing e depreciação maiores do que os com mais tempo de uso.

O mercado brasileiro de transporte aéreo investe pesado em novos equipamentos, principalmente pelo elevado custo que tem o querosene de aviação, em decorrência da alta tributação que sofre no País. Hoje, o combustível é responsável por 38% dos custos de operação das empresas nacionais.

“A companhia avalia o cenário operacional em que atua para verificar qual prática é mais vantajosa em cada mercado. Nos Estados Unidos, por exemplo, os custos com combustível e manutenção são muito menores que os brasileiros, o que justifica que uma frota com renovação menos frequente”, afirma o consultor da Abear, Maurício Emboaba, responsável pelo estudo publicado no Panorama.

COMMENTS