Aviação doméstica brasileira transportou cerca de seis milhões de passageiros em fevereiro

Em relação ao mesmo mês de 2013, demanda expandiu 11,2%, somando sete bilhões de RPKs (passageiros-quilômetros transportados)

Frota de aeronaves de companhias do Brasil é uma das mais jovens do mundo
Demanda por voos domésticos em cai 5,47%
Número de passageiros transportados cresce 12,5% na aviação brasileira em janeiro

anac-passageiros-aeroporto

As companhias que fazem parte da ABEAR (Associação Brasileira das Empresas Aéreas) registraram alta nos principais indicadores de desempenho em relação ao mercado doméstico no mês de fevereiro.

Em relação ao mesmo mês de 2013, a demanda expandiu 11,2%, somando sete bilhões de RPKs (passageiros-quilômetros transportados). A oferta manteve-se praticamente estável na mesma comparação (retração de 0,5%), consolidando 8,7 bilhões de ASKs (assentos-quilômetros oferecidos). Por conta desse resultado, a taxa de ocupação (load factor) apresentou aumento de 8,5%, atingindo o patamar de 80,6%.

O número total de passageiros transportados também avançou, ficando 11% acima de fevereiro de 2013, totalizando pouco mais de seis milhões de pessoas no mês.

“Esses são resultados muito positivos para o mês de fevereiro, normalmente um período mais fraco para a estatística da indústria, até porque tem menos dias”, comenta o presidente da ABEAR, Eduardo Sanovicz. “Assim como já havíamos notado em janeiro, percebemos uma demanda aquecida, é possível que haja uma reprogramação de compromissos do público corporativo, que está adiantando reuniões e eventos que poderiam acontecer durante a Copa do Mundo ou no período eleitoral”.

Nos dados de 2014, as taxas de ocupação registradas até agora se destacam, superiores a 80%, acima das médias de todo o ano de 2012 e 2013.

Em termos de desempenho individual nesse indicador, no mês de fevereiro se sobressaiu o resultado da Avianca, que alcançou load factor mais de oito pontos acima da média: 88,7%. A participação de mercado em fevereiro ficou dividida da seguinte forma: TAM, 37,86%; GOL, 36,83%; Azul, 16,91%; e Avianca, 8,39%.

COMMENTS