Indústria de implementos rodoviários comercializa 161.286 unidades de janeiro a novembro

Indústria de implementos rodoviários comercializa 161.286 unidades de janeiro a novembro

Resultado representa desempenho positivo de 10,02% sobre o mesmo período de 2012

Vendas de implementos rodoviários caem 7,7% no 1º semestre de 2014
Setor de implementos rodoviários do Brasil retrai mais de 41% entre janeiro e setembro
Fabricantes de implementos abrem diálogo com o BNDES para linha de crédito especial na pandemia

guerra-implementos-tanque

Segundo balanço divulgado pela Anfir (Associação Nacional dos Fabricantes de Implementos Rodoviários), a indústria de implementos rodoviários produziu e vendeu de janeiro a novembro desse ano 161.286 unidades. O resultado representa desempenho positivo de 10,02% sobre o mesmo período de 2012. No ano passado, em 11 meses, o setor fabricou e distribuiu 146.599 produtos.

“O governo concedeu o benefício à indústria e nós respondemos imediatamente e à altura, com aumento de produção e movimentação do mercado”, afirma Alcides Braga, presidente da Anfir.

O Ministério da Fazenda definiu para o ano de 2013 duas taxas fixas para o PSi/Finame, criando o ambiente de previsibilidade para a venda de implementos rodoviários. O programa. atualmente em vigor, teve início em 1º de janeiro com taxa de juros de 3%, passando a 4% em 1º de julho. Esse percentual vale até 31 de dezembro.

“O desempenho da indústria de implementos rodoviários no ambiente de previsibilidade criado pelo governo mostra de forma incontestável a validade da medida adotada”, afirma o presidente.

As vendas no segmento Pesado (Reboques e semirreboques) apresentam crescimento de 31,93%. De janeiro a novembro, a indústria produziu 63.038 unidades ante 47.780 fabricadas no mesmo período do ano passado.

No segmento Leve (Carroceria sobre Chassis) os números de vendas de janeiro a novembro se aproximam do mesmo patamar do ano passado. O total desse ano (98.248) está apenas 0,58% abaixo do registrando no mesmo período de 2012 (98.819).

COMMENTS