Porto do Itaqui (MA) promete mudar eixo da exportação de grãos do País

Com a construção do Terminal de Grãos do Maranhão (TEGRAM) o Porto pretende receber 11,5% da produção nacional de grãos, tornando-se o 3º maior do Brasil no segmento

Conab inicia cadastramento de armazéns em Mato Grosso
Brasilmaxi completa 21 anos de atividades com plano de expansão
ID Logistics amplia portfólio de serviços com armazéns em SP, RJ e DF

O Porto de Itaqui, em São Luís, no Maranhão, inicia hoje (07) a construção do Terminal de Grãos do Maranhão (TEGRAM). Com inicio das operações previsto para o final de 2013, o Itaqui pretende ser um dos portos brasileiros com maior capacidade instalada para armazenagem e exportação de soja, milho e farelo.

A obra permitirá que a capacidade instalada do porto passe dos atuais 2,5 milhões de toneladas de grãos/ano para até 15 milhões de toneladas/ano até 2020, o equivalente a um terço da capacidade instalada para exportações de grãos pelos portos do Norte e Nordeste.

Hoje, cerca de 80% da soja exportada pelo Brasil sai pelos portos de Paranaguá (PR) e Santos (SP. Quando o TEGRAM estiver operando em sua capacidade plena, cerca de 11,5% da produção de grãos do país vai passar pelo Itaqui, o que posicionará o porto entre os três maiores do país, afirma Luiz Carlos Fossati, presidente da Empresa Maranhense de Administração Portuária (EMAP).

O Porto de Itaqui também finalizou a construção de um píer petroleiro que aumentará em 40% a movimentação de derivados de petróleo.

COMMENTS