Anel Rodoviário de Minas terá faixa exclusiva para caminhões

Medida faz parte de uma série de intervenções emergenciais para diminuir volume de acidentes. Para compensar perda de uma pista, limite de velocidade pode ser elevado

Perito fará exame em quem se recusar a fazer o teste do bafômetro em SP
Mortos e incapacitados no trânsito
Férias sim, acidentes não! Vá e volte!

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) e o Departamento de Estradas e Rodagem de Minas (DER-MG) estudam criar uma barreira física para isolar os caminhões na faixa da direita do Anel Rodoviário, no entorno de Belo Horizonte.

A medida faz parte de uma lista de seis intervenções de emergência para a rodovia, orçadas em R$ 60 milhões, que são uma tentativa de minimizar os riscos de acidentes até que a revitalização do Anel saia do papel. O estudo foi concluído no mês passado por técnicos dos dois órgãos e depende agora de aprovação do Dnit.

As intervenções se concentram no ponto mais crítico da via, entre os KM 0 e 7, do bairro Olhos D’Água ao Betânia, ambos na região Oeste da capital mineira. Mas, segundo a assessoria do Dnit, ainda não é possível informar os trechos exatos que sofrerão as alterações. A expectativa é que as ações sejam colocadas em prática antes da conclusão do projeto executivo de revitalização dos 27 km do Anel, previsto para o início de 2014.

Faixa exclusiva

Os veículos pesados podem ser obrigados a circular pela direita por barreira físicas, deixando duas pistas livres para carros e motos. De acordo com o Dnit, o isolamento seria feito como uma espécie de canteiro central. Entre janeiro e setembro, 42% dos acidentes na via envolveram caminhões. Foram 1.052 batidas, com 156 pessoas feridas e dez mortas.

Em contrapartida para a perda de uma das faixas, a velocidade máxima de veículos leves deverá ser aumentada de 70 km/h para 80km/h, com o objetivo de dar mais fluidez ao trânsito.

Além disso, o estudo prevê a instalação de três passarelas para pedestres e três áreas de escape para os caminhões. Uma das alças de escape está prevista para o KM 5, um dos pontos mais críticos na chamada “Descida do Betânia”.

Ainda entre as propostas, está a instalação de letreiros luminosos para alertar os motoristas sobre o limite de velocidade na rodovia. Avaliações da sinalização em pontos precários do Anel e da atual condição dos acessos à estrada fecham a lista.

COMMENTS