Conheça os trechos mais sujeitos a neblina em SP

ARTESP lista os 10 principais pontos sujeitos a ter visibilidade prejudicada na malha concedida e aponta qual é o procedimento que o motorista deve adotar nessa situação

Pedágios paulistas não aumentaram em 1º de julho
Artesp libera mais uma empresa para operar pedágio eletrônico
Eixo suspenso será cobrado nas praças de pedágio de SP a partir do dia 28/7

Com a chegada do inverno, aumenta a incidência de neblina e pontos de visibilidade reduzida nas rodovias, aumentando o risco de acidentes.

Há trechos, contudo, que apresentam neblina durante o ano todo. O tipo de acidente que mais comumente ocorre nessas situações é a colisão traseira.

A ARTESP (Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Transporte do Estado de São Paulo) busca,em conjunto com as concessionárias e a Polícia Militar Rodoviária, alertar os condutores sobre os cuidados a serem tomados ao dirigir sob essas condições, a fim deminimizar os casos de acidentes.

Em caso de visibilidade reduzida, é essencial haver a conjunção de três fatores para manter a segurança nas viagens: rodovia em boas condições, sinalização adequada e atuação consciente do condutor.

Dessa forma, a ARTESP faz as seguintes recomendações aos motoristas:

1.Ao perceber os primeiros sinais de neblina, reduza a velocidade;

2.Mantenha uma distância segura do veículo à frente;

3.Mantenha faróis baixos acesos, tanto de dia quanto à noite. Ficar com os faróis apagados, mesmo de dia, não é recomendado. Já o farol alto, independente do horário, sob neblina, dificulta a visibilidade pela grande dispersão de luz emitida;

Em geral, estão sujeitos à ocorrência de neblina trechos de serra e baixadas (vales). Os horários de maior incidência são o começo da manhã e as madrugadas. Para ajudar o condutor a ter mais clareza em relação a esses trechos, a ARTESP listou dez pontos da malha concedida, onde é comum haver neblina nesta época do ano:

– Rodovia Raposo Tavares (SP 270), km 48 e km 52, sentido Oeste, São Roque;

– Rodovia Castelo Branco (SP 280), do km 50 e km 58, sentido Oeste, São Roque e Araçariguama, respectivamente;

– Interligação Planalto do Sistema Anchieta Imigrantes (SP 40), do km 8 ao km 0, sentido Oeste, São Bernardo do Campo;

– Rodovia Anchieta (SP 150), do km 32 ao 45, sentido Sul, São Bernardo e Cubatão;

– Rodovia dos Imigrantes (SP 160), do km 32 ao 47, sentido Sul, São Bernardo e São Vicente;

– Rodoanel Oeste (SP 21), na altura do km 76, Rodoanel Oeste;

– Rodovia Anhanguera (SP 330), do km 227,75 ao 235,15, sentido Sul, Santa Rita do Passa Quatro e Porto Ferreira;

– Rodovia Santos Dumont (SP 75), km 33, sentido Sul, Itu;

– Rodovia Monsenhor Clodoaldo de Paiva (SP 147), km 50,49 ao km 52,55, sentido Oeste, Mogi Mirim;

– Rodovia Dom Gabriel Paulino Bueno Couto (SP 300), km 109,7, sentido Oeste, Itu.

COMMENTS