Conheça os trechos mais sujeitos a neblina em SP

ARTESP lista os 10 principais pontos sujeitos a ter visibilidade prejudicada na malha concedida e aponta qual é o procedimento que o motorista deve adotar nessa situação

Cobrança do eixo suspenso em SP tem impacto entre 12,5% e 33,3%
SP ainda não cobra por eixo suspenso, diz Artesp
Artesp unifica velocidade limite no trecho de serra da Rodovia Anchieta (SP)

Com a chegada do inverno, aumenta a incidência de neblina e pontos de visibilidade reduzida nas rodovias, aumentando o risco de acidentes.

Há trechos, contudo, que apresentam neblina durante o ano todo. O tipo de acidente que mais comumente ocorre nessas situações é a colisão traseira.

A ARTESP (Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Transporte do Estado de São Paulo) busca,em conjunto com as concessionárias e a Polícia Militar Rodoviária, alertar os condutores sobre os cuidados a serem tomados ao dirigir sob essas condições, a fim deminimizar os casos de acidentes.

Em caso de visibilidade reduzida, é essencial haver a conjunção de três fatores para manter a segurança nas viagens: rodovia em boas condições, sinalização adequada e atuação consciente do condutor.

Dessa forma, a ARTESP faz as seguintes recomendações aos motoristas:

1.Ao perceber os primeiros sinais de neblina, reduza a velocidade;

2.Mantenha uma distância segura do veículo à frente;

3.Mantenha faróis baixos acesos, tanto de dia quanto à noite. Ficar com os faróis apagados, mesmo de dia, não é recomendado. Já o farol alto, independente do horário, sob neblina, dificulta a visibilidade pela grande dispersão de luz emitida;

Em geral, estão sujeitos à ocorrência de neblina trechos de serra e baixadas (vales). Os horários de maior incidência são o começo da manhã e as madrugadas. Para ajudar o condutor a ter mais clareza em relação a esses trechos, a ARTESP listou dez pontos da malha concedida, onde é comum haver neblina nesta época do ano:

– Rodovia Raposo Tavares (SP 270), km 48 e km 52, sentido Oeste, São Roque;

– Rodovia Castelo Branco (SP 280), do km 50 e km 58, sentido Oeste, São Roque e Araçariguama, respectivamente;

– Interligação Planalto do Sistema Anchieta Imigrantes (SP 40), do km 8 ao km 0, sentido Oeste, São Bernardo do Campo;

– Rodovia Anchieta (SP 150), do km 32 ao 45, sentido Sul, São Bernardo e Cubatão;

– Rodovia dos Imigrantes (SP 160), do km 32 ao 47, sentido Sul, São Bernardo e São Vicente;

– Rodoanel Oeste (SP 21), na altura do km 76, Rodoanel Oeste;

– Rodovia Anhanguera (SP 330), do km 227,75 ao 235,15, sentido Sul, Santa Rita do Passa Quatro e Porto Ferreira;

– Rodovia Santos Dumont (SP 75), km 33, sentido Sul, Itu;

– Rodovia Monsenhor Clodoaldo de Paiva (SP 147), km 50,49 ao km 52,55, sentido Oeste, Mogi Mirim;

– Rodovia Dom Gabriel Paulino Bueno Couto (SP 300), km 109,7, sentido Oeste, Itu.

COMMENTS