São Paulo amplia restrição a caminhões na Marginal Pinheiros e avenidas próximas

São Paulo amplia restrição a caminhões na Marginal Pinheiros e avenidas próximas

Caminhões estarão proibidos de trafegar das 4 às 22 horas, de segunda a sexta-feira e, aos sábados, das 10 às 14 horas; regra entra em vigor no dia 1º de dezembro e restrições poderão ir também para a Marginal Tietê em janeiro

Câmara dos Deputados aprova MP que propõe refinanciamento da dívida na compra de caminhões
Porto de Paranaguá recebe 20 caminhões blindados Navistar
Câmara analisa projeto que exige que empresa explique ao motorista sobre proibição de transportar carga

Foi determinado pela Secretaria Municipal de Transportes de São Paulo que, a partir do dia 1º de dezembro, caminhões estarão proibidos de trafegar das 4 às 22 horas, de segunda a sexta-feira, e aos sábados, das 10 às 14 horas (exceto feriados) na Marginal Pinheiros e também nas avenidas dos Bandeirantes, Afonso D’ Escragnole Taunay e Jornalista Roberto Marinho. As vias já tinham restrições para os pesados, mas a Prefeitura decidiu ampliar o horário da proibição.

Com esta medida a prefeitura pretende reduzir as ocorrências envolvendo caminhões que geram interferências no sistema viário principal nos horários mais críticos de tráfego.

Caminhões que transportam máquinas, equipamentos e materiais básicos para a construção civil estão autorizados a circular nessas vias das 10 às 16 horas, já os de transporte de produtos alimentícios perecíveis poderão trafegar das 4h às 12h. A restrição não vale para VUCs (Veículos Utilitários de Carga), assim como para veículos de urgência, de socorro mecânico de emergência, destinado a cobertura jornalística, de obras e serviços de emergência e dos Correios.

Os veículos que não estiverem cadastrados serão considerados irregulares. Desta forma, todo motorista que pode ser eliminado da proibição é obrigado a se cadastrar DSV (Departamento de Operação do Sistema Viário), por meio deste link.

As multas, que entram em vigor já no dia 8/12, serão de R$ 85,12, e motorista terá quatro pontos na carteira de habilitação. Fiscalização ficará por conta dos agentes da autoridade de trânsito e pelos radares fixos que contam com leitores automáticos de placas.

COMMENTS