Com fim da greve, Correios devem normalizar serviços em uma semana

Com fim da greve, Correios devem normalizar serviços em uma semana

TST determinou encerramento da paralisação em julgamento, na terça-feira (11/10)

Ministério Público de SP investigará atraso nas obras do Trecho Leste do Rodoanel
Governo Federal atrasa pagamentos de obras em rodovias
Navios de cabotagem esperam mais de 4 dias por práticos em Manaus (AM)

A greve dos Correios foi encerrada. Na terça-feira (11/10), o TST (Tribunal do Superior do Trabalho) determinou que, a partir de quinta-feira (13/10), a paralisação fosse encerrada. Estima-se que os serviços voltem à normalidade em sete dias. Os Correios estavam em greve desde o dia 14/9

Segundo a Fentect (Federação dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares), a maioria dos funcionários estão voltando ao trabalho na manha de quinta-feira e também informou que dos 35 sindicatos, 31 já realizaram assembleias e aconselharam os funcionários a voltarem ao trabalho.

No julgamento realizado na data, os ministros do TST aprovaram reajuste salarial de 6,87% a partir de agosto com aumento linear de R$ 80 em outubro. Além disso, a decisão estabelece vale alimentação de R$ 25, vale cesta de R$ 140 e vale extra de R$ 575.

Quanto os dias parados, o Tribunal definiu o desconto de sete dias e a compensação dos outros 21, sem a devolução dos dias já descontados. Esse era o principal impasse entre os funcionários e a ECT: os Correios não abriam mão; os trabalhadores, não aceitavam. A compensação será iniciada já no próximo fim de semana.

Reclamação

De acordo com Os Correios, cerca de 184 milhões de correspondências estão atrasadas em todo o País.

Os clientes que contrataram a empresa e que se sentiram prejudicados pela demora das entregas podem pedir o ressarcimento e fazer a reclamação pela internet, por meio deste link.

Vale ressaltar que os serviços de entrega expressa como Sedex 10 e Sedex Hoje ficaram suspensos no período da greve.

Por: Bruno Martins e Victor José, da redação Portal Transporta Brasil

COMMENTS