Petrobras firma acordo de afretamento de seis navios classe Panamax fabricados no Brasil

Contratos fazem parte do programa EBN, que tem como finalidade estimular a construção naval no Brasil

Postos Ipiranga ecoeficientes já somam 50 unidades no Brasil
Volvo apresenta linha de caminhões com tecnologia Euro 5
Empresas desenvolvem combustível para jato a base de cana-de-açúcar

A Petrobras e a Hidrovia South American Logistics – empresa pertencente ao grupo NSAL – assinaram recentemente os últimos contratos do Programa EBN2 (Empresas Brasileiras de Navegação), que visa ao afretamento de seis navios da classe Panamax (unidade com tamanho limite para passar nas eclusas do Canal do Panamá), de 63.500 toneladas de porte bruto cada.

Cinco unidades serão utilizadas na movimentação de produtos claros (gasolina e diesel) e um o para o transporte de produtos escuros (petróleo).

O Programa é referente ao afretamento, no período de 15 anos, de navios fabricados por empresas brasileiras, em estaleiros estabelecidos no Brasil. O acordo também exige que o registro da embarcação ocorra sob bandeira brasileira durante toda a duração do contrato. Na EBN1 foram afretados 19 navios e na EBN2, foram 20 embarcações.

Estima-se que o EBN, parte de um conjunto de iniciativas da Petrobras para estimular a construção naval no Brasil, contribua para a criação de aproximadamente 30 mil empregos diretos e indiretos, durante a construção, e mais dois mil postos de trabalho permanentes ao longo da vida operativa dos navios.

COMMENTS