Infraero passa a cobrar serviço de “visita à carga”

Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária divulgou taxa de inspeção em tabela atualizada de preços de serviços prestados. De acordo com a superintendência da companhia, cobrança estava já estava prevista para 2004

Passageiros aéreos devem ficar atentos ao fim do horário de verão
Infraero inicia obras no Aeroporto de Fortaleza (CE)
Terminal de carga do Aeroporto de Recife registra recorde nas cargas de importação

A empresa aeroportuária Infraero divulgou a tabela atualizada de custos de serviços prestados, dentre eles, o valor do “visita à carga”. Tal taxa tem sido bastante questionada por empresários do setor logístico. De acordo com a superintendência da Infraero em Brasília, a cobrança já estava prevista para 2004, mas por diversos imprevistos não vinha sendo cobrada em alguns aeroportos desde então.

Quando os volumes chegam às dependências da Infraero, é emitido o Mantra (Manifesto de Trânsito Aduaneiro e Armazenamento), um documento sistêmico que permite aos importadores e representantes acompanharem o movimento das cargas até o momento da emissão. No Mantra pode ser indicada a probabilidade da existência de prejuízos e perdas nas cargas importadas, tornando-se necessária a verificação. Com isso, pode-se solicitar a visita à carga. A Infraero não autoriza o importador manusear o volume, por isso, a inspeção só pode ser feita visualmente.

Uma mesma carga pode ter a necessidade de ser vistoriada mais de uma vez, sendo que, a cada inspeção, será gerado um novo débito, criando assim uma dilatação na estimativa financeira da importadora. Devido à superlotação de cargas nos aeroportos do País, um pedido de vistoria pode demorar até dois meses para ser atendido.

“Como as empresas precisam de agilidade, elas acabam tirando a carga mesmo com algum tipo de avaria e arcam com o prejuízo. Mas é um risco porque todo o lote pode estar com problema”, comenta o presidente do Sindicato dos Despachantes Aduaneiros do Estado de São Paulo (Sindasp), Valdir Santos.

As informações são de Aparecido Mendes Rocha, corretor de seguros especializado em seguros internacionais.

Por: Victor José – Redação Portal Transporta Brasil

COMMENTS