SP teve 7.776 ocorrências de roubos de cargas em 2009

Levantamento da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo em parceria com as entidades representativas das empresas do setor de transporte rodoviário de cargas mostra que prejuízo como roubo de cargas aumentou 21,14% em 2009, em comparação com 2008. Boa notícia é o aumento da resposta das forças policiais no combate a este tipo de crime

Ativa investe em filiais de olho no mercado de medicamentos
Scania consolida liderança no mercado de pesados no trimestre
Cobrança de pedágio de eixo suspenso em São Paulo continua em vigor

O roubo de cargas no Estado de São Paulo teve um salto de 16,88% nas ocorrências em 2009, em comparação com o ano anterior. Foram 7.776 casos no ano passado e 6.653 em 2008. Os números são da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo, tabulados por meio de uma parceria com as entidades representativas das empresas de transporte rodoviário de cargas, o SETCESP e a FETCESP.

Em 2009, o prejuízo com este tipo de crime foi de R$ 281,97 milhões, contra R$ 232,924 em 2008, um aumento de 21,14%. A Capital Paulista e os municípios que formam a Região Metropolitana de São Paulo somaram 81,56% das ocorrências. De acordo com o assessor de Segurança do SETCESP (Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região), Coronel Paulo Roberto de Souza, apesar do aumento nas ocorrências, os números mostram que quase 76% dos roubos foram feitos com cargas de valor inferior a R$ 30.000,00.

“Isto mostra que a atuação das grandes quadrilhas organizadas diminuiu e o que vemos é uma grande quantidade do que chamamos de roubo de oportunidade. Além disso, sentimos, a partir do segundo semestre do ano passado, uma importante mostra do aumento da resposta policial contra o roubo de cargas. Tivemos a boa notícia da reativação do Procarga e um grande empenho das polícias na investigação e repressão aos delitos de cargas”, comenta o Cel. Souza.


De acordo com o levantamento divulgado, as cargas mais visadas pelos ladrões em 2009 foram os produtos alimentícios, com 2.324 ocorrências, seguidos pelas cargas fracionadas, com 993 ocorrências e pelos produtos eletrônicos, com 847 casos. Mas foram estes produtos que lideraram o ranking dos valores subtraídos: os roubos de produtos eletrônicos somaram prejuízos de R$ 60,9 milhões.

As rodovias Presidente Dutra e Régis Bittencourt foram as que somaram o maior número de roubos, com a Anhanguera em terceiro lugar.

“O setor está confiante na resposta policial contra o roubo de cargas e as empresas têm se preparado melhor para evitar estes crimes”, complementa o Coronel Souza em entrevista exclusiva ao Portal Transporta Brasil.

Por: Leonardo Helou Doca de Andrade – Redação Portal Transporta Brasil

COMMENTS