ALL anuncia crescimento de 5,8% em volume de cargas em 2009

Empresa movimentou 35,6 bilhões de TKUs em 2009 no Brasil. Commodities agrícolas cresceram 6%, com destaque para a soja e o milho. Produtos industriais representaram crescimento de 5,3%

ALL inicia operações de transporte de biodiesel
ANTT autoriza ALL a operar em trecho de ferrovia no Mato Grosso
ALL abre inscrições para o Programa de Engenheiros 2011

A ALL (América Latina Logística), maior operador logístico do continente, com grande ênfase no modal ferroviário, divulgou esta semana os resultados de 2009 e anunciou um crescimento de 5,8% no volume de cargas transportado.

Segundo a empresa, a movimentação em 2009 no Brasil foi de 35,6 bilhões de TKUs, com destaque para as commodities agrícolas, que cresceram 6% em relação a 2008, e produtos industriais, com crescimento de 5,3%.

A soja e os produtos florestais foram os principais produtos que alavancaram o crescimento na movimentação da empresa, com 16,8% para a commodity e 30,8% para os produtos florestais. “O aumento demonstra os fortes fundamentos do nosso negócio, em um ano marcado por uma quebra de 12% na safra de grãos na região em que atuamos e uma redução de dois dígitos na produção industrial brasileira”, completa Paulo Basílio, diretor-Superintendente da ALL.

O EBITDA Consolidado decresceu 10,9% para R$ 1,1 bilhão, devido principalmente a uma queda de 1,7% no preço médio, em grande parte reflexo do repasse da queda no preço do diesel. A ALL registrou no ano Receita Consolidada de R$ 2,78 bilhões, praticamente em linha com o ano anterior. O Lucro Liquido do período foi de R$ 31,7 milhões.

Em preparação para 2010, a ALL já encomendou dez novas locomotivas AC44 da GE, mais resistentes e eficientes em consumo de diesel e custos de manutenção do que a atual frota da companhia. Investimentos em via permanente, terminais e tecnologia, também foram realizados com o objetivo de incrementar a produtividade da companhia.

“Estamos otimistas em relação à performance de 2010. De acordo com estimativas da CONAB, a safra de soja deve crescer mais de 18% em nossa área de atuação. Além disso, o período de colheita foi antecipado, influenciando positivamente os volumes e preços. A perspectiva é também positiva para o segmento industrial, com previsão de crescimento em 8% contra queda de 7% em 2009, e para a Argentina, que deve ter uma safra 40% maior. Deveremos ter sob contratos take-or-pay mais de 70% de todo o volume previsto para o ano”, diz Basilio.

Por: Leonardo Helou Doca de Andrade – Redação Portal Transporta Brasil

COMMENTS