Raízen opera terminal com movimentação de 1 milhão de litros de etanol por dia no MT

Novo terminal da empresa, fruto da união entre a Cosan e a Shell, está localizado em Alto Taquari, no Mato Grosso, importante entroncamento ferroviário entre o Centro-Oeste e o Sudeste

Terminal ferroviário de Rondonópolis transporta 6,5 toneladas em oito meses
ALL termina 2011 com geração de caixa de R$ 1,5 bi
Cade confirma fusão da ALL com Rumo Logística

A Raízen, união entre a Shell e a Cosan para a produção de etanol, inaugurou um novo terminal em Alto Taquari, no Mato Grosso, com capacidade de movimentar um milhão de litros do combustível por dia.

A estrutura faz parte do sistema de escoamento do biocombustível da empresa por meio do modal ferroviário, localizada no mais importante entroncamento férreo entre o Centro-Oeste e o Sudeste do País.  Segundo a empresa, a capacidade máxima de armazenagem de etanol do terminal é de 11 milhões de litros e a operação também incluirá derivados de petróleo.

A operação é uma parceria com a ALL Logística. “O município de Alto Taquari se apresenta como pólo de desenvolvimento e como porta de entrada da ferrovia em solo mato-grossense. A Raízen investe fortemente no Estado de Mato Grosso em linha com seu compromisso com a geração de renda e emprego e com o desenvolvimento sustentável”, afirma Leonardo Gadotti Filho, vice-presidente executivo de logística, distribuição e trading da empresa.

O investimento para a implementação do terminal foi de R$ 20 milhões e o projeto foi iniciado em 2009. “Este terminal permite o escoamento do etanol produzido na região por meio do modal ferroviário para o grande mercado do Sudeste, ao mesmo tempo em que cria condições para viabilizar novos investimentos em biocombustíveis nas proximidades”, informa Gadotti.

O terminal também estoca e distribui derivados de petróleo (gasolina e diesel), que são transportados por vagões de Paulínia (SP) para Alto Taquari. No terminal, os produtos são armazenados e distribuídos para os clientes da região por meio de caminhões-tanque.

A operação utiliza o contrafluxo dos vagões de derivados que chegam ao Mato Grosso, originários de Paulínia (SP).  Estes vagões retornam ao município paulista com biocombustíveis, criando sinergia e eficiência no fluxo logístico.

COMMENTS