Cummins realiza testes que aprovam uso de biodiesel B20 em seus motores

Resultados de consumo e potência são praticamente idênticos quando comparados com o diesel convencional

Projeto autoriza uso de biodiesel puro como combustível
Governo federal decide aumentar percentual de biodiesel no óleo diesel
Senado aprova MP que amplia percentual de biodiesel e etanol em combustíveis

Após testes com o combustível a base de biomassa, a Cummins, que já havia certificado a utilização do B5 em 2006, liberou, em setembro de 2009, o uso de uma solução de 20% de biodiesel (B20) para todos os motores que saem de fábrica.

Os testes efetuados com o biodiesel adicionado ao diesel convencional atingiram a marca de 2 milhões de km rodados. Eles envolveram ensaios de laboratórios para análise de características físico-químicas, testes de desempenho e de emissões de gases, testes de durabilidade em dinamômetro e de durabilidade em campo. Por ser uma fonte renovável de energia, o biodiesel puro (que é adicionado ao diesel convencional formando o B20) tem maior poder de lubrificação e não contém enxofre, o que diminui os níveis de emissões de gases e de material particulado da mistura.

A potência e o consumo de combustível também obtiveram resultados relevantes nos testes com o B20. São praticamente idênticos se comparados ao uso do diesel convencional nos motores da marca. Testes com o B100 também já são realizados pela empresa, os quais já demandaram cerca de 20 mil litros e 250 horas em grupos geradores da Cummins, como parte da fase inicial de certificação.

Empresa apresenta soluções para atender à fase P7 do Proncove

A Cummins se prepara para adaptar suas soluções E5 e atender a fase P7 do Programa de Controle de Poluição do Ar por Veículos (Proncove). A solução integrada é composta pelos motores Cummins aliados ao sistema de controle de emissões SCR (Redução Catalítica Seletiva), ao turbo compressor da Cummins Turbo Technologies e aos filtros Cummins Direct FlowTM, será apresentada na Fenatran 2009, que acontece de 26 a 30 de outubro, no Pavilhão de Exposições do Anhembi (SP).

E economia esperada de combustível gira em torno de 5%, dependendo da aplicação, da melhoria na combustão que resulta em maior durabilidade do motor e redução de custo com troca de filtros, uma vez que a queima é mais eficiente liberando menos material particulado. E empresa oferece, também, suporte técnico em toda sua rede credenciada para o motor e para o sistema SCR.

SISTEMA SCR – O sistema SCR consegue integrar o gerenciamento do motor ao sistema de pós-tratamento, tornando a solução mais eficiente para a redução de emissões. Desenvolvido com alta tecnologia, consegue se adequar a potências elevadas.

O sistema SCR utiliza o Arla 32, produto químico composto por 32,5% de uréia dissolvida em água, para reagir e neutralizar o NOx (óxido e dióxido de Nitrogênio originário da combustão), convertendo-o em substâncias inofensivas e não contaminantes: nitrogênio e água. O Arla 32 é um líquido incolor, inodoro, atóxico e não-inflamável, injetado no sistema de exaustão após a combustão.

MOTOR CUMMINS EURO V – Na Fenatran, será exposto o motor ISL, apresentado pela primeira vez na Fenatran em 2007, projetado com a robustez e característica dos motores pesados, mundialmente consagrados pela Cummins (ISM e ISX). O ISL mantém alta durabilidade e confiabilidade em um pacote compacto e leve – pesa, em média, 150 kg menos do que os de sua categoria.

O motor possui o Módulo de Controle Eletrônico (ECM) e tem a opção de ser equipado com um sistema de freio motor integrado ao cabeçote, atuando diretamente nas válvulas de escape. Isso resulta em maior potência e segurança, principalmente nas frenagens de emergência, assegurando um desempenho superior, com maior economia de manutenção no sistema de freios, especialmente em veículos pesados.

CUMMINS DIRECT FLOWTM – O sistema de filtração Cummins Direct FlowTM, produzido pela Cummins Filtration, é uma inovação. Proporciona inúmeros benefícios competitivos, entre os quais, maior vida do filtro de ar, melhor desempenho, maior proteção ao motor, melhor tratamento e maior flexibilidade de instalação, menores custos operacionais, manutenção simples dos filtros de ar primários e secundários e descarte dos filtros que protege o meio ambiente, por não possuir componentes metálicos. Seu design e seu tamanho – até 50% menor do que os produtos concorrentes – permitem a adaptação em áreas inadequadas para os purificadores convencionais de ar.

Com o compartimento de ar feito de um material extremamente durável para manter a resistência do produto em ambientes operacionais mais pesados, o sistema pode ser aplicado em áreas com baixa ou alta quantidade de pó. Combinado aos sistemas de exaustão e de pós-tratamento do cárter, o Cummins Direct FlowTM, completa a gama de soluções tecnológicas integradas da Cummins, necessárias para gerenciar completamente o fluxo total de ar do motor.

Por: Bruno Martins – Redação Portal Transporta Brasil

COMMENTS