Nelson Jobim defende abertura do Aeroporto Santos Dumont

Nelson Jobim disse que deve conversar com o governo do estado e com a prefeitura da cidade, na próxima sexta-feira (6), para convencê-los da abertura

Chance de concordata da Chrysler é de 90%
Aliada contra excesso de carga
Regulamentação da profissão de motoboy pode ser votada na próxima semana

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, não acredita que a abertura de mais vôos, além da ponte aérea entre Rio e São e Paulo, no Aeroporto Santos Dumont, prejudique a concessão prevista para o Aeroporto Antonio Carlos Jobim/ Galeão, na Ilha do Governador.

Nelson Jobim disse que deve conversar com o governo do estado e com a prefeitura da cidade, na próxima sexta-feira (6), para convencê-los da abertura. “Entendo que não haverá prejuízos”,  afirmou hoje Jobim no Rio de Janeiro.  “Ao conversar com o governador [Sérgio Cabral], vamos tentar chegar a um consenso”, completou ao lembrar que, independente da decisão, a União não tem influência sobre as decisões de agências.

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) deve autorizar novas rotas a partir do Santos Dumont, em março. A medida divide opiniões até entre as companhias aéreas. Moradores temem aumento do barulho na área. E com medo de perder vôos internacionais no Galeão, o governo estadual até ameaça recorrer à justiça contra a possível decisão.

De acordo com Jobim, novos vôos no terminal do centro não vão prejudicar o aeroporto da ilha, mais distante da cidade. Ao citar informações da Anac, ele disse que desde o início da ponte aérea, há quatro anos, o aeroporto do Galeão não registrou aumento de vôos domésticos. Para o ministro, o problema do Galeão é a disciplina em termos da abertura de vôos  internacionais e a possibilidade de conexões no país.

“A verdade é que aqueles que pretendem ter destino exclusivamente no Rio, e não ir para outros lugares, preferem, evidentemente, o Santos Dumont. Nesse ponto, temos um problema: qual o interesse a ser atendido? O interesse do usuário ou os interesses das disputas entre os dois aeroportos?”

Antes de participar de reunião no Centro Tecnológico da Marinha, na ilha, o ministro disse que o modelo de concessão do aeroporto da região será apresentado em junho, pela Anac e pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Do documento constará também o modelo para concessão do Aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP) e o terceiro terminal de São Paulo.

Link para a matéria

COMMENTS