BG vai investir US$ 4 bi no campo de Tupi

De acordo com o ministro Edison Lobão, os executivos da BG disseram que desejam futuramente fazer mais investimentos no País

Trânsito pode paralisar São Paulo em quatro anos
Combustíveis ficarão ainda mais caros em Santa Catarina
Licença ambiental vai restringir operações no Aeroporto Santos Dumont,

O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, confirmou ontem, após reunião com executivos da BG (empresa de gás britânica sócia da Petrobras na exploração do campo de Tupi na camada pré-sal), que a companhia internacional irá investir mais US$ 4 bilhões na exploração do poço de Tupi, localizado na bacia de Santos. Segundo o ministro, esse dinheiro deve ser aportado rapidamente na nova fronteira petrolífera. “Eles estão com dinheiro disponível para investir no Brasil. A BG já opera no setor de gasodutos e pretendem investir (os US$ 4 bilhões) com extrema rapidez”, disse Lobão.

De acordo com o ministro, os executivos da BG disseram que desejam futuramente fazer mais investimentos no País. “Eles confiam no Brasil e desejam fazer investimentos no setor energético e ampliar os seus negócios cada vez mais em nosso País. A companhia já tem uma parceria com a Petrobras em vários blocos do pré-sal”, afirmou.

Lobão disse também que os executivos da empresa britânica apostam no potencial do Brasil. “Eles cumprirão a parte deles rigorosamente e a tempo porque acreditam no pré-sal e nas potencialidades brasileiras e desejam a curto, médio e longo prazo ampliar os investimentos no Brasil”, disse Lobão. O ministro confirmou que tem sido constantemente procurado por investidores estrangeiros. “Tenho sido procurado com freqüência por diversos investidores estrangeiros e que, como a BG, estão prontos para investir aqui”, disse.

Lobão também confirmou que ainda este mês a comissão interministerial, criada para discutir o marco regulatório do petróleo, deve se reunir para decidir qual será a forma de exploração das reservas do pré-sal. “Nós vamos resolver isso este mês e levaremos ao presidente (Lula) esse mês ainda”, reiterou Lobão. Depois que a comissão escolher o modelo de exploração do pré-sal, Lobão irá entregar ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva para que ele dê a palavra final sobre o assunto.

Crise internacional – Edison Lobão espera que a crise econômica internacional se resolva ainda esse ano e com isso os preços do petróleo também subam. “Estou convencido que a crise econômica se resolve ainda este ano e a crise do petróleo também se resolverá com rapidez”, comentou. Lobão também deu a solução para que a crise do petróleo se resolva. Segundo ele, isso só depende da vontade dos produtores.

Para o ministro, se a produção do petróleo for reduzida, haverá redução do consumo e assim os preços irão aumentar. Lobão disse que é inconcebível o preço do produto estar tão baixo. “Só pode reduzir a produção com a redução do consumo e se não há redução do consumo, não deve haver redução substancial da produção”, disse o especialista.

O ministro também afirmou que o Brasil não tem pressa para entrar na Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep). “Nós temos sido convidados com certa frequência, mas nós não temos pressa. Primeiro nós temos que nos transformar em exportadores líquidos (aqueles que exportam mais que importam) e só após isso nós devemos ingressar na Opep”, disse Lobão.

COMMENTS