Transportadoras mato-grossenses já contam com software para emissão do CT-e

O documento fiscal que comprova a prestação do serviço de transporte de cargas sobre o qual é cobrado o Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS) substituirá à sistemática atual que é em papel

Amsted Maxion vende 1.100 vagões para MRS Logística
Comissão aprova proposta de integração da malha ferroviária
Sistema que vigia carros tem implantação confusa

A partir de 1º de outubro terá início em Mato Grosso a obrigatoriedade de emissão do Conhecimento do Transporte Eletrônico (CT-e) para 942 empresas transportadoras de cargas do Estado. O documento fiscal que comprova a prestação do serviço de transporte de cargas sobre o qual é cobrado o Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS) substituirá à sistemática atual que é em papel.

Dessa forma, as transportadoras que se enquadram como obrigatórias na emissão do documento, ou seja, àquelas com faturamento superior a R$ 1,8 milhão em 2008 ou que tenham efetuado prestação de serviço de transporte interestadual no ano passado, independentemente do valor do respectivo faturamento, deverão se antenar para a regulação de sua CT-e.

Porém, diferente da Nota Fiscal Eletrônica (NF-e), que é disponibilizado gratuitamente um software para a operação, o CT-e não terá sistema gratuito aos usuários. Cada transportadora terá que aderir ao software de sua escolha. Para atender essa necessidade tributária, empresas de tecnologia da informação oferecem este serviço, no intuito de garantir eficiência e eficácia na hora da emissão do CT-e, como é o caso da Simetrya Tecnologia da Informação, empresa genuinamente mato-grossense.

Segundo o diretor executivo da Simetrya, Sandro Brandão, a empresa oferece às transportadoras dois modelos de software, de acordo com a necessidade do cliente. Existe a versão Simetrya CT-e Full, voltada às transportadoras com volume maior de emissão de CT-e, que requerem automatização completa do processo e que precisam gerenciar várias filiais. A outra versão é a Simetrya CT-e Light, destinada às transportadoras que possuem um volume menor de emissão e que precisam realizar a digitação do documento fiscal.

Conforme Brandão, assim como a NF-e, o CT-e traz, além das implicações legais e jurídicas, uma série de requisitos técnicos e administrativos que precisam ser corretamente avaliados e implementados. “Nesse sentido, a Simetrya está pronta para atender a qualquer empresa, desde a de pequeno porte quanto a empresas de grande porte, e também aos contabilistas que precisam dar respostas e soluções rápidas e práticas a seus clientes”, revela.

De acordo com a Sefaz/MT, as empresas que se enquadram nos critérios das obrigatórias serão credenciadas automaticamente (de ofício) a emitir o documento fiscal eletrônico. Desse modo, seus documentos fiscais em papel serão considerados inidôneos a partir de 1º de outubro, não terão mais validade. Utilizá-los será o mesmo que transitar com a mercadoria sem documento fiscal, o que configura crime contra a ordem tributária.

FACILIDADES E EFICÁCIA

Ambos os sistemas da Simetrya são totalmente compatíveis com o Sistema Público de Escrituração Digital (Sped), assim como são responsáveis por todo o processo de autorização do CT-e na Sefaz, atuando entre o Sistema de Gestão da Transportadora e os WebServices da Secretaria de Fazenda, ao realizar todo o procedimento de emissão e transmissão ao órgão. Possui ainda interface WEB para monitoramento das autorizações, realiza o cancelamento de CT-e e a inutilização de faixa de numeração.

Sandro Brandão explica que os softwares da Simetrya também realizam busca automática do arquivo de integração, não requerem a digitação das senhas do certificado na assinatura e na transmissão, fazem a simplificação e automatização do processo de autorização, centralizam o processo de emissão, permitem a digitação do CT-e, e possibilitam suporte 24 horas.

A flexibilização para a customização do Documento Auxiliar do CT-e (Dacte) também é um diferencial. Este é o documento que deverá acompanhar a carga durante o transporte, antes do início da prestação do serviço. É uma representação simplificada do CT-e. Contém informações básicas sobre a prestação em curso (emitente, destinatário, valores etc).

Veja matéria original

COMMENTS