Média diária de exportações e de importações cai em dezembro

De acordo com dados divulgados ontem pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), em comparação com o mês anterior, a média diária caiu 10,3% nas exportações e 8,7% nas importações

Perdigão nega fusão e Sadia vende R$ 1,5 bi em ativos para saldar dívida
Nelson Jobim defende abertura do Aeroporto Santos Dumont
Gastos com cortes na operação mantêm OceanAir no vermelho

Apesar de ter fechado a terceira semana de dezembro com um superávit de US$ 416 milhões, a balança comercial brasileira registrou queda na média diária, tanto das exportações como das importações realizadas entre 15 e 21 de dezembro.

De acordo com dados divulgados ontem pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), em comparação com o mês anterior, a média diária caiu 10,3% nas exportações e 8,7% nas importações. No acumulado do ano até o final da última semana, a balança apresenta um superávit comercial de US$ 23,36 bilhões, resultado de exportações de US$ 194,05 bilhões e importações de US$ 170,69 bilhões.

Faltando apenas oito dias do final do ano, os economistas já fazem suas contas para 2008 e projeções para o próximo ano.

Na MCM Consultores, a estimativa é de que a balança fechará o ano com um saldo positivo de US$ 23,8 bilhões. No Banco Real, a previsão é de um superávit na casa dos US$ 25 bilhões. Vale lembrar que no ano passado o País registrou um saldo comercial ligeiramente superior a US$ 40 bilhões.

Cristiano Souza, economista do Banco Real, prevê problemas para o ano que vem. “As exportações devem cair bastante por causa do menor ritmo de atividade econômica no mundo”, afirma, lembrando que 40% das encomendas brasileiras seguem para a Europa Ocidental e para o Tratado de Livre Comércio da América do Norte (Nafta), mercados que já desaceleraram e que tendem, segundo ele, a piorar em 2009.

“Além disso, será difícil, em virtude da debilidade chinesa, os preços das commodities se recuperarem no próximo ano”, diz ele. Por isso Souza espera exportações de US$ 171 bilhões para o próximo ano.

As importações, avalia o economista do Real, devem estacionar nos US$ 154 bilhões. “Elas cairão principalmente devido ao câmbio depreciado, embora também haja o efeito desaceleração da economia.”

Na MCM, a expectativa é de um saldo comercial de US$ 14,5 bilhões. “A queda do superávit de 2008 para 2009 ocorrerá porque as exportações cairão bem mais do que as importações”, afirma o economista Homero Luiz Guizzo.

Na visão do economista, a redução virá essencialmente da redução de volumes. “Não vejo mais espaço para queda de preço nas exportações brasileiras.” No acumulado de dezembro (até o dia 21), as exportações brasileiras totalizaram US$ 9,927 bilhões, segundo dados do Ministério. Isso dá uma média diária de US$ 661,8 milhões, valor 7% mais baixo que o de dezembro do ano anterior.

Resultado mensal – A desaceleração da economia mundial é visível na balança brasileira desde o mês passado, “seja do ponto de vista de quantidade, seja de preço”, comenta Souza, do Real. Isso ficou claro, segundo ele, quando as exportações baixaram de um patamar diário de US$ 800 milhões a US$ 900 milhões para uma média diária de US$ 737 milhões em novembro e de US$ 661,8 milhões no acumulado em dezembro. “Essa tendência tende a se acentuar em 2009, especialmente devido à queda de preço das commodities.”

Já as importações ficaram em US$ 8,999 bilhões nas três semanas de dezembro, o que significa uma média diária de US$ 599,9 milhões, um aumento de 13,3% sobre dezembro do ano passado.

COMMENTS