Iveco lança Tector e prepara ônibus

Baseado na mais recente versão do Iveco EuroCargo, lançada em maio na Europa, o Tector consumiu 15 meses de desenvolvimento e 30 mil horas e 1 milhão de quilômetros rodados no Brasil e na argentina

ALL obtém licenças do Ibama
Governador do Paraná libera R$ 7,8 milhões para pátio de triagem do Porto de Paranaguá
Código de trânsito pode ficar mais severo

A Iveco escolheu o navio Gran-de Mistral e um cruzeiro entre Santos (SP), Angra dos Reis e Búzios (RJ) para apresentar a jornalistas, concessionários, clientes e fornecedores de toda a América Latina, num total de mil pessoas, o mais novo semipesado da marca italiana, o Tector.

“Decidimos lançar o Tector em meio à crise internacional para superar desafios e nos preparar para quando o mercado de caminhões voltar a crescer”, disse o presidente da Iveco América Latina, o italiano Marco Mazzu. “O Tector vai participar do segmento ‘premium’, que tem maior conteúdo tecnológico, mais conforto, requinte e sofisticação, e representa 40% do mercado brasileiro de semipesados”, informou Mazzu. Os preços de produtos “premium” são entre 15% e 20% mais caros do que os respectivos produtos de entrada.

Segundo Renato Mastrobuono, diretor de desenvolvimento de produto da Iveco, a montadora mantém planos ambiciosos para a América Latina. Depois de lançar os modelos Daily, Stralis, Trakker e agora o Tector, em pouco mais de 12 meses, a companhia mantém a meta de lançar dois novos produtos a cada ano. Mastrobuono disse que em 2009 a Iveco vai ampliar a linha de caminhões e, em 2010, entrar no segmento de transporte de passageiros. Segundo Mastrobuono, com a ajuda de 100 engenheiros e 140 técnicos do Centro de Desenvolvimento de Produto da Iveco, em Sete Lagoas, “queremos ter, em 2011, a maior linha de caminhões do Brasil.”

Modelo adaptado

Baseado na mais recente versão do Iveco EuroCargo, lançada em maio na Europa, o Tector consumiu 15 meses de desenvolvimento e 30 mil horas e 1 milhão de quilômetros rodados no Brasil e na Argentina, informou Luciano Cafoure, gerente de plataforma de médios e pesados da Iveco América Latina. Segundo ele, “foram tantas as mudanças para atender os clientes latinos que decidimos mudar o nome do veículo.”

Para ser lançado na América Latina, o modelo foi totalmente adequado para as condições de uso e rodagem da região, em trabalho desenvolvido pelo Centro de Desenvolvimento de Produto da Iveco, em Sete Lagoas. “Além de levar em conta o clima, a topografia e a infra-estrutura da região, ouvimos clientes e realizamos intervenções para atender sugestões e pedidos que recolhemos”, informa Mastrobuono.

Com nova cabine, novo interior e novo painel com computador de bordo, o Tector é equipado com motor de 250 cavalos, com ganho de 5% de potência e 17% de torque, além de ser 4% mais econômico que a versão anterior.

Já homologado para utilizar o B5, o Tector será oferecido como cavalo-mecânico e plataforma, nas versões 4×2, 6×2 e 6×4, esta última uma novidade nas linhas Iveco. Adicionando-se combinações de duas cabines (curta e leito) e quatro diferentes opções de entre eixos, e três caixas de câmbio, haverá um total de 14 versões para Brasil.(Gazeta Mercantil/Caderno C – Pág. 1)(Edson Álvares da Costa – Viajou a convite da Iveco)

Link para a matéria

COMMENTS