Trem de alta velocidade terá tarifa-teto do leilão a R$ 0,60 por km

Para vencer a disputa, as empresas interessadas terão de oferecer tarifas inferiores a esta, uma vez que um dos critérios para arrematar a concessão é o de menor tarifa

Projeto exige transparência na aplicação de receita de multas
Exportações gaúchas caem 39% em janeiro
Makro investe em mais postos de combustíveis

No leilão de licitação da concessão para o trem de alta velocidade (TAV) Campinas-São Paulo-Rio de Janeiro, o valor máximo da tarifa por quilômetro na classe econômica deverá ser de R$ 0,60. Isto significa que, para vencer a disputa, as empresas interessadas terão de oferecer tarifas inferiores a esta, uma vez que um dos critérios para arrematar a concessão é o de menor tarifa. O outro critério para a escolha do operador do serviço favorece quem demandar menor financiamento público para viabilizar o projeto. Considerando o valor teto da tarifa econômica, uma viagem entre São Paulo e Rio de Janeiro no trem de alta velocidade custaria em torno de R$ 288.

O preço-teto da tarifa consta de resolução do Conselho Nacional de Desestatização (CND) publicada no Diário Oficial de ontem. A resolução traz outras regras para a futura operação do trem, como, por exemplo, a determinação de que no mínimo 60% dos assentos disponíveis em cada composição do trem-bala sejam de classe econômica. Na classe executiva, o preço da passagem não poderá superar em mais de 75% o que é cobrado na classe econômica.

Esta semana, representantes do governo disseram que a decisão que aponta o vencedor desta concorrência, prevista para fevereiro de 2010, se dará com base na proposta que exigir menor contrapartida de financiamento público, aliada a uma tarifa menor, em relação ao teto estipulado para o futuro edital.

No leilão do trem de alta velocidade (TAV) que ligará as cidades de Campinas, São Paulo e Rio de Janeiro, o valor máximo da tarifa na classe econômica deverá ser de R$ 0,60 por quilômetro rodado.

Veja matéria original

COMMENTS