Diretor da Azul promete tarifas inferiores às de ônibus

Segundo a companhia, vôos diretos entre Curitiba e Vitória também deverão começar ainda neste ano

Azul Linhas Aéreas recebe 40º jato da Embraer
Azul e Trip integram serviço de bordo
Azul passa a operar com 43 aeronaves

A Azul Linhas Aéreas espera começar a vender passagens dentro de dez dias e, a partir de 15 de dezembro, iniciar a operação no País com quatro vôos partindo do aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP), e destinos em Salvador (BA), Porto Alegre (RS), Curitiba (PR) e Vitória (ES). O diretor executivo da empresa, David Neeleman, prometeu que a empresa terá faixas tarifárias com preços inferiores ao valor cobrado em viagens de ônibus para o mesmo trecho.

“E, mesmo quando forem mais caras, vai compensar viajar de avião. Se você vai de ônibus de São Paulo para Salvador, tem que comprar o frango assado também, pois a viagem demora 33 horas”, disse o diretor executivo da Azul, David Neeleman, em entrevista concedida na última terça-feira, em Ribeirão Preto.

Segundo a companhia, vôos diretos entre Curitiba e Vitória também deverão começar ainda neste ano.

Filho de americanos e nascido em São Paulo, Neeleman ficou multimilionário aos 32 anos, quando a Morris Air, empresa da qual foi co-fundador, no início da década de 1980, foi vendida à Southwest Airlines por US$ 130 milhões. “Podia me aposentar. Mas quando cheguei em casa e vi a mulher com os cinco filhos, decidi: não vou me aposentar”, brincou o empresário, que hoje tem 49 anos, nove filhos “entre nove e 27 anos”, sendo sete meninas, e um neto.

Missionário da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, Neeleman foi o responsável pelo desenvolvimento da tecnologia de viagens sem bilhete, ainda na Morris, e fundou a JetBlue em 1989. Hoje, a companhia tem 140 aviões e fatura US$ 3,5 bilhões por ano, segundo ele.

Em março deste ano, Neeleman anunciou a criação da Azul no Brasil. Com capital de US$ 200 milhões, a empresa tem encomendas firmes de 36 jatos da Embraer e mais 40 opções de compra. (Edson Álvares da Costa – Gazeta Mercantil)

COMMENTS