Os astros de março

Os astros de março

Os caminhões mais vendidos no primeiro bimestre deste ano seguem na mesma posição neste terceiro mês

ZF tem novo comandante na América do Sul
Iveco Daily: uma das grandes surpresas da Fenatran 2019
Marcopolo entrega Torinos capixabas ao Espírito Santo

O emplacamento de caminhões cresceu 45,74% no primeiro semestre do ano. Mercedes-Benz é a marca que mais representou com 32% de participação. Isso significa 21.377 unidades emplacadas ante as 14.668 em igual período em 2018. Já as vendas de ônibus ganharam ainda mais notoriedade, se tratando de crescimento, com 71,37%, ou seja, apesar de não vender em volumes como os caminhões, no acumulado os ônibus se destacaram. Foram 6.195 em 2019 ante 3.615 em 2018. E a Mercedes-Benz foi a fabricante que também mais representou com 60,65% de participação no acumulado.

Semileves

E na lista dos semileves mais emplacados, o Mercedes-Benz Sprinter 415 segue encabeçando o ranking dos emplacamentos. Ele se mantém nessa desde janeiro e no acumulado foram emplacados 396 unidades, lhe garantindo uma participação de 30,58%.

Em seguida o mais vendido é o Volkswagen Delivery 6.160, caminhão responsável pelas vendas de 375 modelos no acumulado de janeiro e março, tendo 28,96% de mercado de semileves.

Leves

Entre os leves, o caminhão mais vendido é o 9.170 da família Delivery. O caminhão da Volkswagen foi responsável por 722 unidades das vendas na categoria entre janeiro e março, participando com 28,08%. Vale ressaltar que o caminhão vendeu mais em fevereiro. Foram 252 unidades e em março 234.

O segundo colocado é o Mercedes-Benz Accelo 1016, modelo que emplacou 491 unidades de janeiro a março. Apesar de em março ter sofrido leve queda nas vendas, 167 unidades ante as 179 vendidas em fevereiro, ele segue na vice-liderança.

Médios

O VW Delivery 11.180 parece ter caído nas graças do consumidor, assim como o Ford Cargo 1119. Ambos nadam de braçada nas vendas entre os médios, encabeçando o ranking o VW 11.180 com 822 unidades. Em marco ele emplacou 284 modelos, lhe rendendo uma participação de 49,10%.

Em seguida, o Ford Cargo 1119 vendeu 347, ficando com 20,73%. Os números caíram, sobretudo após a notícia de que a Ford deixaria suas operações de caminhões no Brasil. Contudo, com a notícia de que a fábrica voltou a operar esta semana e que o Grupo Caoa pode assumir às operações de produção, o 1119 que foi o desbravador dessa subcategoria dentro desse segmento pode voltar a subir nas vendas.

Semipesado

O VW 24.280 há pelo menos 6 anos, desde a chegada da Euro 5 com essa motorização, é dono dessa posição no ranking de vendas – herança do antecessor de 250 cv Euro 3. E não seria diferente esse sucesso de vendas este ano. Foram 679 unidades vendidas nesses primeiros três meses, uma participação de 13,19% nos semipesados. Mas março teve leve queda em relação a fevereiro, foram 245 ante os 235 do mês passado.

O Mercedes Atego 1719 vem logo em seguida com 661 unidades emplacadas, ou 12,84% do mercado. Um competidor que pelos números está incomodando o VW.

Pesado

O Volvo FH 540 já vendeu 1.431 tendo uma participação de 13,40% do mercado de caminhões pesados. Em seguida veio o Mercedes-Benz Actros 2651, com 980 unidades vendidas lhe garantindo uma participação de 9,17%.

Ambas as fabricantes dos caminhões aproveitaram a oportunidade para faturarem mais com a troca de linha da Scania, pois por anos o R 440 era líder absoluto nas vendas até 2018.

Pelos números, o próximo Scania a incomodar a concorrência é o R 450. Ele já está na quinta posição dos mais pesados, com 535 unidades, ou seja, 5,01% de participação.

Andrea Ramos
Editora-executiva da Agência Transporta Brasil
andrearamos@transportabrasil.com.br 

+ Saiba tudo do mundo do transporte rodoviário. Curta nossa página no Facebook!
Agência Transporta Brasil – ATB

COMMENTS