Fábrica da Ford em SBC volta a operar

Fábrica da Ford em SBC volta a operar

Após 42 dias de paralisação, trabalhadores da fábrica em SBC voltam às atividades nesta terça-feira (2)

Michelin lança nova gama de pneus
Iveco vende 27 Hi-Way para o Paraná
Iveco tem novo campo de provas em sua fábrica em Minas

Com a novela do encerramento das operações da Ford na planta de São Bernardo do Campo (SP) aparentemente se aproximando do fim, os trabalhadores da fábrica no ABC Paulista retornaram às atividades normais nesta terça-feira (2). Esta atitude encerra, portanto, uma paralisação de 42 dias.

A notícia de um suposto interesse do Grupo Caoa em assumir as operações na planta publicada pelo jornal O Estado de São Paulo ainda não é confirmada oficialmente. Entretanto, de acordo com o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Wagner Santana, o Wagnão, a decisão faz parte da estratégia de luta.

“Para a fábrica interessa produzir, pois tem compromissos comerciais. De nossa parte, nos interessa que os investidores tenham como conhecer o funcionamento da fábrica, como é o processo de produção e, principalmente, a qualificação dos trabalhadores”, ressaltou Wagnão.

Ford

Assembleia com os trabalhadores na Ford e retorno ao trabalho. 02.04.2019 Foto: Adonis Guerra/SMABC

Saída possível

Segundo fontes do jornal, a Caoa está interessada seguir com a fabricação de caminhões Ford em São Bernardo sob licença da marca. A produção do hatch Ford Fiesta continuaria interrompida.

O Grupo Caoa já possui contrato de operação das marcas Subaru, Hyundai e Chery no Brasil. Em Goiás, na cidade industrial de Anápolis, a Caoa tem um grande complexo industrial onde fabrica os caminhões Hyundai HR e HD80, além das SUVs Hyundai Tucson e iX35 e dos novos Chery Tiggo 5X e Tiggo 7.

Contratos de trabalho

O coordenador do Comitê Sindical, José Quixabeira de Anchieta, o Paraíba, comunicou aos trabalhadores que as negociações com a empresa para o encerramento dos contratos estão avançando. Ele adiantou que o pagamento da PLR (Participação nos Lucros e Resultados) já está garantido e que ainda estão em discussão itens como data-base deste ano e valor das indenizações.

Assim que todos os pontos forem contemplados, o acordo será apresentado aos trabalhadores. “Falta pouco para fechar os pontos desse pacote de negociação e colocar em votação numa futura assembleia”, relatou Paraíba. “A Ford precisa pagar um preço pela sua decisão. Temos um acordo que garante a estabilidade até novembro, porém não queremos aguardar até lá. Nós gostaríamos de já em abril realizar uma assembleia trazendo uma boa notícia”, explicou Wagnão.

Leandro Tavares – editor web da Agência Transporta Brasil
leandro@transportabrasil.com.br

+ Saiba tudo do mundo do transporte rodoviário. Curta nossa página no Facebook!
Agência Transporta Brasil – ATB

Leia também:
Ford Cargo 1119 foi o pulo do gato
Motor e câmbio revolucionam o Ford semipesado
Cargo 1933 abre o segmento na Ford

COMMENTS