Rastreador específico para carretas traz tecnologia de radiofrequência

Lançamento do Grupo Tracker, equipamento ajuda no combate a uma das mais frequentes modalidades de roubo de cargas: a troca do cavalo-mecânico para furtar somente a carga

Câmara dos Deputados aprova uso de barras de proteção em caminhões
Pavimento da Rodovia dos Bandeirantes é reconstruído com asfalto ecológico
DAF anuncia Pontos de Serviço Independentes

O Grupo Tracker, fabricante de equipamentos e tecnologias de monitoramento e rastreamento de veículos e cargas, traz ao mercado brasileiro o lançamento Tracker Carreta, dispositivo de rastreamento específico para o compartimento de carga que utiliza tecnologia de radiofrequência para a troca de dados com a central.

Segundo a Tracker, este tipo de equipamento ajuda os transportadores no combate a um dos mais comuns modos de roubo de cargas: a troca do cavalo-mecânico e a subtração somente da carreta com a carga.

“Até então, todos os rastreadores eram instalados no cavalinho. Cientes disso, os bandidos acoplam a carreta a um cavalinho próprio, sem risco de serem pegos, e desaparecem com a carga. O Tracker Carreta é uma ferramenta que vai inviabilizar essa prática. Podemos localizar a carreta onde quer que ela esteja: em subsolos, túneis e garagens. Além disso, a Tracker tem cobertura em todo território nacional e países vizinhos”, afirma o gerente de produtos do Grupo Tracker, Marcelo Orsi.

Outro atributo do equipamento, segundo a Tracker, é a duração da bateria, que tem até 24 meses de autonomia. “A alimentação própria facilita a instalação do rastreador. Ficou muito mais fácil de escondê-lo”. Segundo o executivo, o produto, chega ao mercado com um valor bem acessível. “Estamos comercializando o Tracker Carreta em todo o Brasil, com a instalação em domicílio sem custo”, finaliza Orsi.

Radiofrequência

A tecnologia de transmissão de dados do Tracker Carreta é feita por meio de radiofrequência, sinal que não pode ser inibido com os equipamentos jammer, utilizados pelas quadrilhas de roubo de cargas para “misturar” o sinal do rastreador do caminhão, geralmente transmitido e recebido em GPRS ou GSM, a mesma banda de comunicação da telefonia celular.

O fabricante não divulgou o preço do equipamento.

COMMENTS