MAN Latin America emprega nanotecnologia para aprimorar peças

Montadora utiliza engenharia em escala de um bilionésimo de metro para melhorar compostos de metal e borracha em peças de caminhões e ônibus, como nos coxins de sustentação do motor

MAN renova linha de caminhões com duas tecnologias para o Euro 5
Grupo Volvo cria área de negócios voltada ao transporte autônomo
Iveco inaugura concessionária na Argentina

A MAN Latin America divulgou esta semana que está utilizando ferramentas de nanotecnologia para aprimorar compostos e ajustes de peças, como os coxins de sustentação dos motores dos caminhões e ônibus produzidos em sua linha de montagem em Resende (RJ).

Segundo a montadora, a tecnologia, que trabalha em escala de um bilionésimo de metro, é útil para aumentar em até 50% a vida de uso dos componentes. Nos coxins, a fábrica utiliza a nanotecnologia para manipular compostos em estruturas de átomos e moléculas em busca do composto ideal de metal e borracha das peças.

Na função de sustentação do motor no chassi, o coxim fica submetido a alto grau de vibração e, caso não absorva adequadamente o impacto, pode gerar uma série de problemas. Em um desenvolvimento conjunto entre as engenharias da MAN Latin America e Truck Bus, empresa fornecedora dos coxins, a nanotecnologia foi aplicada em dois processos de fabricação do componente.

Com a adição de nanocompósitos, a borracha teve sua formulação alterada para resistir melhor à vibração, um fator crítico para a vida útil do coxim. O principal benefício com a reestruturação molecular da borracha foi o aumento significativo de sua resiliência (capacidade de acumular energia sem ocorrer ruptura, deformação ou perda de rendimento). Desta forma, a borracha com nanocompósitos apresenta baixíssimos níveis de termo-oxidação, fator responsável pela degeneração e perda de vida do componente.

Em outra frente, a estrutura metálica passa agora por um banho de nanocerâmica, possibilitando uma maior aderência à borracha e simplificando inclusive a operação, pois a preparação anterior contava com dois processos em vez de apenas um. Esse tratamento especial evita que a borracha se desprenda do metal, ocasionando a perda do coxim e, dependendo das circunstâncias, comprometendo a vida útil de outros componentes. A otimização dos processos também trouxe grande contribuição na redução dos impactos ambientais, uma vez que foi eliminada a geração de componentes nocivos ao meio ambiente, o que demandava atenção e cuidados especiais por parte da Truck Bus para seu descarte.

O coxim do motor é montado no chassi pela Maxion, parceira da MAN Latin America no Consórcio Modular, sistema de produção inovador em que fornecedores dividem com a empresa a responsabilidade pela montagem dos veículos.

COMMENTS