Paccar investe R$ 330 milhões em fábrica no Paraná

Paccar investe R$ 330 milhões em fábrica no Paraná

Montadora se instalará na cidade de Ponta Grossa, em uma área de 2 milhões de metros quadrados

Mais 100 Actros para o agronegócio
Novo Eurocargo, da Iveco, é eleito “International Truck of the Year” 2016
Proposta que evita autuação por excesso de carga baseada no peso por eixo é rejeitada

A montadora norte-americana Paccar escolheu a cidade de Ponta Grossa, no Paraná, para instalar sua primeira fábrica de caminhões no Brasil. Serão US$ 200 milhões (aproximadamente R$ 331,5 milhões) investidos entre 2011 e 2013. A fábrica, que terá de 330 mil metros quadrados, será levantada em uma área de 500 acres, ou 2 milhões de metros quadrados.

A planta foi desenhada para produzir os caminhões dos modelos DAF LF, CF e XF. “Essa será uma das fábricas da Paccar mais tecnologicamente avançadas e amigas do meio ambiente”, disse Bob Christensen, vice-presidente executivo da companhia.

Para convencer a empresa a se instalar em solo paranaense, Beto Richa, governador do estado, concedeu incentivo de oito anos de deferimento para 90% do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). Ou seja, nesse período, a Paccar pagará apenas 10% do ICMS devido.

Força de trabalho

Para a manufatura dos veículos, a montadora tem planos de contratar até 500 funcionários. “Oportunidades adicionais de emprego, que irá gerar benefícios econômicos para a região, serão criadas durante a fase de construção e conforme nossos fornecedores expandirem suas capacidades na área”, afirmou Christensen.

Além de postos de trabalho, a Paccar quer criar também parcerias com centros de estudo do Paraná. A iniciativa é para facilitar o acesso à formação profissional a seus colaboradores. “Queremos desenvolver relações próximas com a Universidade Estadual de Ponta Grossa, Universidade Tecnológica Federal do Paraná e outras faculdades técnicas para promover oportunidades educacionais aos nossos empregados”, afirmou Richard Bangert, vice-presidente da companhia.

COMMENTS