ALL anuncia resultados obtidos de abril a junho

Com um total de 11 bilhões de TKUs (toneladas por quilômetros úteis), volume transportado pela operadora no período foi 8,9% maior em relação ao exercício do segundo trimestre de 2010

Transportadores cruzam os braços por melhorias no terminal de Rondonópolis (MT) da ALL
ALL dará início ao transporte de biodiesel entre RS e PR ainda em agosto
ALL aponta crescimento de 11,5% em volume de cargas no Brasil

A operadora logística ALL anunciou recentemente seu desempenho no segundo trimestre de 2011. O volume transportado entre abril e junho aumentou 8,9% em relação ao período em 2010, chegando a 11 bilhões de TKUs (Toneladas por quilômetros úteis). No Brasil, onde a companhia mais atua, o crescimento foi de 9,6%, sendo 13% em commodities agrícolas e 1,4% em produtos industrializados.

Em relação aos produtos industrializados, o segmento intermodal obteve acréscimo de 9,2%. Os seguimentos de papel, madeira, celulose e siderúrgico se destacaram no trimestre. Nos fluxos de transporte ferroviário puro, a empresa registrou queda no volume transportado de 3,9%.

A Geração de Caixa Operacional cresceu 12,2% em relação a 2010, chegando a R$489,0 milhões. No mesmo período, o lucro líquido da empresa cresceu 20%, para R$ 185,6 milhões.

No período, a ALL passou a reportar separadamente os resultados da Brado Logística, empresa criada recentemente para atender o segmento contêineres utilizando a intermodalidade da ferrovia.

“A Brado irá prestar o nível de serviço necessário para atender o mercado de contêiner, que é pulverizado e de varejo, e atuará como uma consolidadora de cargas para a ferrovia. A participação do mercado de contêiner na ferrovia hoje é de apenas 2%, de um mercado de mais de 2,6 milhões de contêineres na área de atuação da ALL”, afirma Paulo Basílio, Diretor Presidente da ALL.

A Geração de Caixa Operacional da Brado no trimestre aumentou 42,4%, atingindo R$ 8,4 milhões.

Segundo o Diretor Comercial da ALL, Sérgio Nahuz, o mercado deve continuar com demanda por exportações para os próximos trimestres. “A estabilidade das exportações agrícolas no primeiro semestre, considerando o aumento esperado de 8,6% na produção agrícola total do Brasil para 2011, deixa boa parte da safra agrícola para ser transportada no segundo semestre do ano”, afirma Nahuz.

COMMENTS