Comissão restabelece multa para importação de pneu do Mercosul

O decreto libera da aplicação da multa, especificamente, os pneus usados em automóveis de passageiros e de corrida, os utilizados em ônibus e caminhões e aqueles em uso nos veículos aéreos

Concordata pode custar venda da sede da GM em Detroit
Mercado pujante já soma 15 fabricantes de motocicletas
Carga ferroviária sem lona protetora pode resultar em multa para transportadores

A Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável aprovou, na quarta-feira (17), a aplicação de multa de R$ 400 por cada pneu reformado importado dos países do Mercosul – medida que havia sido sustada pelo Decreto 6514/08, do Executivo.

A proposta foi aprovada na forma de substitutivo do deputado Fernando Gabeira (PV-RJ) a três Projetos de Decreto Legislativo (PDCs) que tramitam apensados – 1/03, 10/03 e 48/03 – apresentados respectivamente pelos deputados Rodrigo Maia (DEM-RJ), Antonio Carlos Mendes Thame (PSDB-SP) e Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e tramitam.

Sem multa

O decreto libera da aplicação da multa, especificamente, os pneus usados em automóveis de passageiros e de corrida, os utilizados em ônibus e caminhões e aqueles em uso nos veículos aéreos, e conclui a lista com “qualquer outro tipo de pneus”.

O substitutivo de Gabeira, que susta os efeitos do decreto e passa a multar novamente a importação de pneus usados do Mercosul, apenas atualizou a redação dos PDCs, sem lhes alterar o mérito.

Segundo o deputado do Rio de Janeiro, a complexa composição química dos pneus, suas condições físicas, assim como a sua propensão ao amontoamento em larga escala têm potencial “extremamente prejudicial” ao equilíbrio do meio ambiente e à saúde coletiva.

“Se a tarefa de dar uma destinação ambientalmente adequada aos nossos próprios pneus usados já é árdua, ela se torna hercúlea com a agregação de resíduos de outros países do mundo”, argumenta.

Tramitação

Os PDCs ainda serão analisados pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) e pelo Plenário.

Íntegra da proposta:
– PDC-48/2003
– PDC-1/2003
– PDC-10/2003

Link para a matéria

COMMENTS