Ferroeste pode ser expandida até o Sudoeste do Paraná e Oeste de SC

Trata-se de um passo necessário para verificação das condições de viabilidade técnica, econômica e financeira da ligação ferroviária

Associação Comercial do Rio discute implantação do trem-bala
Seminário resgata estudos de navegação na região metropolitana de São Paulo e propõe Tietê e Pinheiros para o transporte de cargas
Trecho baiano da Rio-Bahia vai a leilão

O governador Roberto Requião e o presidente da Ferroeste, Samuel Gomes, assinam nesta quarta-feira (17) em Pato Branco a contratação da primeira fase do estudo de viabilidade técnica para expansão da ferrovia pública – que liga Guarapuava a Cascavel – para o Sudoeste do Paraná e o Oeste de Santa Catarina. Trata-se de um passo necessário para verificação das condições de viabilidade técnica, econômica e financeira da ligação ferroviária.

De acordo com Samuel Gomes, a região do Sudoeste do Paraná necessita da construção de vias férreas para que possa aumentar a sua atratividade para receber investimentos produtivos e ter maior participação no comércio internacional.

“A região é destaque nacional na produção agropecuária, na industrialização, no sistema cooperativista, em especial no segmento de avicultura de corte e não pode ser prejudicada com a falta de infra-estrutura e logística de transporte”, avalia o presidente da Ferroeste.

Segundo ele, o trecho também é fundamental para o Sudoeste e Oeste de Santa Catarina. “Há claros indícios de viabilidade do projeto, especialmente em razão da construção, já acordada entre os governadores do Sul e o Governo Federal, do ramal da Ferroeste para Maracaju, no Mato Grosso do Sul, que é produtora dos insumos da indústria da carne do Sudoeste do Paraná e Oeste de Santa Catarina”.

Os estudos serão realizados pelo Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar), responsável também pelo projeto de pré-viabilidade do trecho (Guarapuava- Paranaguá), em parceria com o Laboratório de Transportes e Logística da Universidade Federal de Santa Catarina (LabTrans/UFSC).

O evento da assinatura do contrato será realizado às 17 horas, no Colégio Estadual La Salle, e contará com a participação dos prefeitos e vereadores da região do Sudoeste e do Cantuquiriguaçu, no Paraná, e do Oeste de Santa Catarina, além de representantes de associações comerciais, entidades empresariais e Sebrae.

Antecedentes e justificativas para a contratação do estudo:

1) Estudo conjunto entre a FERROESTE e a Secretaria de Infra-estrutura de Santa Catarina detectou o transporte atual de mais de cinco milhões de toneladas de milho e farelo de soja entre as zonas produtoras (Mato Grosso do Sul, Oeste do Paraná e Sudoeste do Paraná) e o Oeste de Santa Catarina.

2) Em razão disso, os governadores do PR, SC e MS enviaram carta de idêntico teor à Ministra Dilma Roussef, em 18 de Dezembro de 2007, solicitando apoio do governo federal para a expansão da FERROESTE para o Oeste de Santa Catarina.

3) Em atendimento à solicitação, realizou-se reunião no dia 25 de janeiro de 2008, no Palácio do Planalto entre a Ministra Dilma, o Ministro dos Transportes e os governadores, na qual o governo federal declarou apoio ao projeto de expansão da FERROESTE ao Mato Grosso do Sul, a Paranaguá e ao Oeste de Santa Catarina.

4) Os governadores do PR, MS, RS e SC, reunidos sob a égide do CODESUL, em 11 de junho de 2008, em Campo Grande, aprovaram MOÇÃO FERROESTE, em cujo item se lê: “Expressar seu apoio à inclusão da expansão da FERROESTE no PAC – Plano de Aceleração do Desenvolvimento, nos seguintes trechos: (I) Guarapuava – Engenheiro Bley – Paranaguá; (II) Cascavel – Guaíra – Mundo Novo – Dourados – Maracaju; (III) Sudoeste do Paraná – Oeste de Santa Catarina”.

5) O LACTEC firmou com a FERROESTE termo de cooperação técnica para a constituição de um Centro de Referência em Logística e Transporte no Paraná. A primeira concretização da cooperação foi a contratação do Lactec pela Ferroeste, para a realização de estudo de pré-viabilidade do ramal da Ferroeste entre Guarapuava e Paranaguá, recentemente concluído e apresentado ao governo federal, que considerou-o consistente, e ao BNDES.

6) O estudo de viabilidade (1º fase) do ramal da FERROESTE para o Sudoeste-PR e Oeste-SC será o segundo produto da cooperação técnica com o LACTEC e contará com a participação do conceituado LABTRANS – Laboratório de Logística e Transportes da Universidade Federal de Santa Catarina.

Link para a matéria

COMMENTS