Prefeitos catarinenses se unem contra pedágios

As obras prometidas de melhoria estrutural pela empresa concessionária ainda não foram iniciadas e nem tem previsão de começar

Notificada, Infraero diz que vai recorrer da suspensão de voos noturnos no Santos Dumont
Vale anuncia recorde de investimentos em 2008
Ford utilizará crédito de ICMS para expandir fábrica

A Federação Catarinense dos Municípios (Fecam) deverá entrar na Justiça contra a cobrança de pedágio na BR-101 pela empresa concessionária, a espalhola OHL.

A decisão foi tomada ontem, em Palhoça, em reunião entre o prefeito do município e presidente da Fecam, Ronério Heiderscheidt, e os prefeito de Garuva, João Roman; e de Araquari, João Pedro Woitexes, cidades que também sediam postos na cobrança na BR-101.

Segundo eles, as obras prometidas de melhoria estrutural pela empresa concessionária ainda não foram iniciadas e nem tem previsão de começar.

Ronério Heiderscheidt construirá um acesso alternativo como desvio da rodovia para a comunidade não pagar o pedágio.

Na reunião, ficou acertado que os 16 prefeitos dos municípios catarinenses cortados até agora pelas obras de duplicação da BR-101 serão informados da ação civil pública e serão convidados para participar da mobilização. A OHL nega o atraso nas obras e diz que está cumprindo o cronograma de trabalhos acertado com a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

Link para a matéria

COMMENTS